Ciência

Cinco milhões de euros para oito projetos de investigação em biomedicina

Cinco milhões de euros para oito projetos de investigação em biomedicina

Cinco milhões de euros é a verba destinada a financiar o primeiro conjunto de oito projetos de I&D portugueses nas áreas das doenças infecciosas, neurociências, doenças cardiovasculares e projetos transdisciplinares com impacto em biomedicina.

Os projetos foram os primeiros a ser selecionados na "Iniciativa Ibérica de Investigação e Inovação Biomédica, i4b" que associa a Fundação para a Ciência e Tecnologia à Fundação Bancária "La Caixa".

O projeto da investigadora Maria Manuel Mota do Instituto de Medicina Molecular de Lisboa sobre a malária é um dos escolhidos. Tal como o de Joaquim Adelino Correia, da Universidade do Porto, que pretende descobrir uma nova terapia para a insuficiência cardíaca. Ou o de Rodrigo Cunha do Centro de Neurociências e Biologia Molecular, da Universidade de Coimbra, que pretende entender a base neurológica da depressão para desenvolver novas terapias.

A este primeiro concurso de 2018 candidataram-se 785 projetos (167 de Portugal) e foram selecionados 20 projetos de Espanha e Portugal. A Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) considera que a participação confirma a necessidade de se dar resposta a investigações de excelência, potenciando o êxito de projetos na luta contra as doenças que têm mais impacto no mundo.

Os projetos, que são revelados esta quarta-feira no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, foram selecionados através de um concurso aberto no qual participaram 256 avaliadores internacionais e que abrangeu um amplo espectro de disciplinas da neurociência à biomedicina.

O concurso de investigação em saúde da Fundação "La Caixa" que foi aberto em Portugal, pela primeira vez em 2018 em colaboração com a FCT, destina 12 milhões de euros anualmente a projetos de investigação de excelência e com impacto social no âmbito da biomedicina e da Saúde. Os projetos vão ser executados em três anos.