Premium

Clima faz crescer produção de vinho

Clima faz crescer produção de vinho

O Instituto da Vinha e do Vinho (IVV) prevê que Portugal produza este ano mais 10% de vinho do que em 2018, situando a fasquia nos 670 milhões de litros. E, ontem mesmo, também o Instituto Nacional de Estatística confirmou esta previsão. Mas, comparativamente com a média das últimas cinco campanhas, o aumento é de apenas 4%. A normalização da produção fica a dever-se a condições meteorológicas favoráveis e à menor pressão de doenças e pragas.

De acordo com o IVV, no entanto, a variação não ocorre da mesma forma em todas as regiões. Enquanto nas do Tejo e de Lisboa se deverá vindimar até menos 10%, as regiões onde se produzem os vinhos do Douro e Porto, Dão e Terras da Beira deverão registar "crescimento de produção igual ou superior a 30% face à campanha anterior".

Para a Região Demarcada do Douro, o IVV prevê mais 16% em relação à média dos últimos cinco anos, elevando o quantitativo a quase 164 milhões de litros. Com base no método do pólen, Rosa Amador, diretora técnica a Associação de Desenvolvimento da Viticultura Duriense, espera "mais 23%", com um teto máximo de 288 mil pipas (158,4 milhões de litros), tendo em conta que "está a ser um ano sem grande pressão das doenças".