Internet

Coletes Amarelos anunciam fim do movimento mas prometem novidades para hoje

Coletes Amarelos anunciam fim do movimento mas prometem novidades para hoje

O movimento dos Coletes Amarelos em Portugal anunciou, na segunda-feira, o fim da atividade, deixando críticas aos portugueses por "não fazer nada". Ainda assim, o grupo prometeu novidades para breve.

"Fomos alvo, primeiro de medo, depois de chacota, crítica, conotações a todo o género de extremismos ou partidos, tudo menos a simples verdade", escreveu Bruno Miguel Branco, porta-voz do grupo, na página do movimento.

A página foi criada no início de dezembro, poucos dias antes de terem anunciado um protesto para o país inteiro, no dia 21 de dezembro. Os manifestantes não pararam o país mas condicionaram o trânsito em algumas cidades, sobretudo no Porto, em Braga e Lisboa, e motivando um reforço do operativo policial. Ainda assim, não se verificaram problemas de maior.

Aproveitando a greve dos motoristas, agendada para arrancar esta segunda-feira e por tempo indeterminado, o movimento tinha marcado uma marcha lenta na Ponte 25 de abril que terminaria com um buzinão junto à Assembleia da República. Mas, tal como em dezembro, a adesão ficou muito aquém do esperado.

"O Povo Português escolheu não fazer nada e nós, ao fim de tanto sermos ignorados e alvo de chacota, decidimos aceitar o que o povo escolhe ser, embora com a mágoa do que poderíamos ser e conseguir", pode ler-se na publicação.

Vídeo deixa dúvidas

Apesar da mensagem, já esta terça-feira, Bruno Miguel Branco publicou um vídeo no YouTube, em que critica António Costa, por ter "ameaçado a população com penas de prisão", prometendo novidades para o fim do dia.

"Em consequência das ameaças ao Povo feitas por um primeiro-ministro que não foi eleito, vamos emitir um comunicado importante mais logo", pode ler-se numa publicação feita ao início da tarde desta terça-feira.