Saúde

Comissão Europeia defende proibição de fumar nas praias

Comissão Europeia defende proibição de fumar nas praias

O comissário europeu da Saúde e Segurança Alimentar, Vytenis Andriukaitis, pretende reduzir o consumo de tabaco nos espaços públicos, ainda que ao ar livre. Praias e recintos desportivos na mira.

"Precisamos de mais implementação e aplicação das leis existentes, uma mudança real no terreno", disse Vytenis Andriukaitis, na sessão de abertura da 7.ª Conferência Europeia do Tabaco e Saúde, organizada pela Liga Portuguesa Contra o Cancro, no Porto.

Andriukaitis defendeu que são necessárias medidas para "tornar todos os espaços públicos livres de fumo", como praias e recintos desportivos ao ar livre.

"Aplicar regras de idade mínima para fumar" e "aumentar a consciencialização sobre o tabaco nas escolas e outros ambientes" foram outras medidas propostas pelo comissário europeu. Andriukaitis defendeu, ainda, que é preciso "regular os postos de venda, incluindo máquinas" e "reduzir a exposição à publicidade", considerando que o preço do tabaco pode funcionar como elemento dissuasor.

Vytenis Andriukaitis alertou também ser necessário seguir com atenção o mercado dos cigarros eletrónicos. "Não podem ser uma porta de entrada para novos fumadores", alertou.

"Se os cigarros eletrónicos são considerados como uma ferramenta que permite deixar de fumar, então devem ser autorizados como produtos farmacêuticos e vendidos em farmácias", sublinhou, em declarações ao "Diário de Notícias".

"Incito os estados-membros da UE a utilizarem todos os instrumentos à sua disposição para o efeito", vincou, em concordância com a medida aplicada em Portugal de colocar imagens chocantes nos maços de tabaco.

"As evidências mostram que as pessoas têm menos probabilidade de fumar" se os maços exibirem mensagens e imagens que alertam para os riscos do tabaco, considerou Vytenis Andriukaitis.

"Este é o motivo pelo qual cinco estados-membros decidiram tornar obrigatória a embalagem 'limpa' nos respetivos países, e é um excelente exemplo para o resto da Europa", acrescenta o DN.