Drogas

Consumo de cocaína sobe em Lisboa e Porto

Consumo de cocaína sobe em Lisboa e Porto

O consumo diário de cocaína aumentou em Lisboa e no Porto de 2016 para 2017, revela um estudo europeu que analisou a presença de drogas nos esgotos de 56 cidades europeias.

O estudo, apresentado esta manhã de quarta-feira, pelo Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência, colheu amostras nos esgotos de cidades de 19 países europeus ao longo de uma semana, em março do ano passado.

Na prática foi analisado o esgoto de aproximadamente 43 milhões de pessoas com o objetivo de detetar a presença de vestígios de quatro substâncias ilícitas que são excretadas pela urina: cocaína, anfetaminas, metanfetaminas e MDMA, vulgarmente conhecido por ecstasy.

Os últimos resultados revelam maior quantidade de cocaína nos esgotos de Lisboa, Porto e Almada comparativamente com 2016 e de ecstasy em Lisboa e Almada.

Em Lisboa, o consumo de cocaína foi de 271 miligramas (mg) diários por cada 1000 pessoas, face a 258 mg em 2016.

No Porto, registou-se um aumento ainda mais expressivo: de 90,8 mg diário por cada 1000 pessoas em 2016 passou para 160,2 mg.

Em Almada, houve também uma subida no consumo de cocaína de 68,1 mg para 82,4 mg, de 2016 para 2017.

No que respeita ao consumo de Ecstasy, o maior aumento foi registado em Lisboa (de 26,9 mg diários por 1000 pessoas em 2016 para 38,3 mg em 2017).

Em Almada, o consumo de Ecstasy subiu de 2,8 mg para 9,3 mg no mesmo período e no Porto não foram registadas alterações de um ano para o outro (10,8 mg em 2016 e 2017).

Segundo o estudo, o consumo de anfetaminas e metanfetaminas nas cidades portuguesas é praticamente inexistente.

Comparando com o resto da Europa, e apesar dos aumentos registados, as cidades portuguesas surgem a meio das tabelas do consumo de cocaína e ecstasy e nos últimos lugares nos consumos de anfetaminas e metanfetaminas.

No ranking das 56 cidades europeias, Lisboa ocupa o 26º lugar no consumo de cocaína, ficando, apesar do aumento registado na capital portuguesa, seis posições abaixo de 2016. O Porto ocupa a 33º posição num ranking liderado por Barcelona, em Espanha.

No consumo de ecstasy, Lisboa está em 11º lugar, quando em 2016 ocupava a 15º posição. O Porto surge em 41º lugar. No topo da tabela está Amesterdão, na Holanda.

ver mais vídeos