Crise no Sporting

Costa afirma que "neste momento" há condições de segurança para a final da Taça

Costa afirma que "neste momento" há condições de segurança para a final da Taça

O primeiro-ministro afirmou esta sexta-feira que, "neste momento", o Governo tem informações de que há condições de segurança para realizar a final da Taça de Portugal, entre Sporting e Desportivo das Aves, no domingo, no Estádio Nacional.

António Costa disse que essas informações foram transmitidas ao Governo pelas forças de segurança, pela Federação Portugal de Futebol (FPF) e pelo Sistema de Segurança Interna, mas ressalvou, logo a seguir, que a situação está a ser acompanhada em permanência e admitiu que até à hora do jogo pode ser necessário adotar "outras medidas".

"Vamos acompanhando a par e passo a evolução dos acontecimentos, porque até à hora do jogo as coisas podem alterar-se e ser necessário adotar outras medidas. Neste momento, a avaliação que o conjunto das forças de segurança e que a FPF fazem, assim como as informações que temos do Sistema de Segurança Interna, é que há condições para realizar o jogo", declarou o primeiro-ministro.

António Costa falava aos jornalistas após ter visitado o Museu Nacional do Azulejo, depois de questionado sobre os resultados da reunião de quinta-feira à noite com o presidente da FPF, Fernando Gomes, que se destinou a analisar a existência de condições de segurança na final da Taça de Portugal, no domingo, no Estádio Nacional, em Oeiras, entre o Sporting e o Desportivo das Aves.

O primeiro-ministro não deu uma garantia absoluta de que o jogo vai realizar-se com a presença de público, alegando que nesta situação "há uma dinâmica".

"Como se sabe, parte das pessoas que foram detidas estão neste momento a ser ouvidas em tribunal. Vamos também aguardar a apreciação que o tribunal irá fazer, que medidas serão adotadas e, por outro lado, vamos acompanhando a evolução que na sociedade este processo tem vindo a ter", disse.

Neste ponto, o líder do executivo considerou essencial "acompanhar o comportamento que os diferentes atores têm vindo a ter".

"Há uma coisa que garantiremos: se houver condições de segurança, a final da Taça deve ser no sítio próprio com uma grande festa do futebol; se não houver condições de segurança para isso, terão de ser adotadas outras medidas", reforçou, antes de frisar que não compete ao primeiro-ministro ou ao Governo qualquer diálogo com a direção do Sporting.

"Ao Governo compete garantir as condições de segurança para realizar a final da Taça de Portugal. Esse é o desejo de todos. Acho que o futebol português, os jogadores das duas equipas, os respetivos adeptos, merecem que esta época termine como deve terminar - e todos estamos a trabalhar nesse sentido", defendeu.

O primeiro-ministro transmitiu ainda o seu desejo de que a atual época de futebol "acabe em beleza, com uma grande festa, como é sempre a final da Taça de Portugal".

"Temos de fazer jus à responsabilidade de um país que é campeão europeu de futebol e que tem a sua seleção nacional a preparar as malas para disputar o campeonato do mundo na Rússia. Temos de fazer do futebol não um espaço de criminalidade ou de comportamentos selvagens, mas um espaço de transmissão dos valores do desporto", acentuou.

Interrogado se a final da Taça de Portugal terá medidas de segurança reforçadas, o primeiro-ministro respondeu que todas as medidas que a PSP entendeu como necessárias "estão asseguradas".

"Enquanto as forças e os serviços de segurança considerarem que há condições de segurança, não há qualquer razão para alterarmos a posição. Mas a FPF é soberana para tomar uma decisão diversa", advertiu.

O primeiro-ministro fez depois uma alusão às agressões de que foram alvo jogadores e equipa técnica do Sporting, na terça-feira, na Academia de Alcochete, manifestando-se "muito preocupado com o que aconteceu".

"Aliás, do ponto de vista da forma como vários atores se expressaram, esta época foi bastante infeliz, criando um clima que não pode existir no desporto e no futebol em particular", observou, aqui, numa referência implícita de crítica a dirigentes de clubes.

"Como a generalidade dos cidadãos, estou muito preocupado que tenha sido possível que, num espaço confinado a um grande clube, como o Sporting, que tenha havido um ato criminoso daquela natureza", acentuou.

António Costa optou igualmente por transmitir um elogio à capacidade das forças de segurança portuguesas, destacando a forma como atuaram em eventos como a vinda do Papa Francisco a Portugal ou o recente festival da Eurovisão, em Lisboa.

"As nossas forças de segurança têm uma grande experiência acumulada, têm dado formação em todo o mundo e são um excelente exemplo" acrescentou.

Antes do primeiro treino para a final da Taça de Portugal, em que o Sporting defronta o Desportivo das Aves, a equipa de futebol foi atacada na academia de Alcochete, na terça-feira, por um grupo de cerca de 50 alegados adeptos encapuzados, que agrediram técnicos e jogadores. A GNR deteve 23 dos atacantes.

ver mais vídeos