Eleições

Costa formaliza Pedro Marques como cabeça de lista do PS às Europeias

Costa formaliza Pedro Marques como cabeça de lista do PS às Europeias

O secretário-geral do PS, António Costa, apresentou, formalmente, o ministro Pedro Marques como cabeça de lista dos socialistas às eleições europeias, durante o discurso que proferiu na sessão de encerramento da Convenção Europeia do seu partido.

"Com o mandato que me foi conferido pela Comissão Política Nacional do PS, escolhi o nosso camarada Pedro Marques para encabeçar a lista do nosso partido às eleições europeias", declarou o líder socialista.

Esta escolha de António Costa para "número um" da lista europeia do PS força a que seja operada uma remodelação do Governo nos próximos dias, com a substituição de Pedro Marques nas pastas do Planeamento e das Infraestruturas.

Na sua intervenção, o líder socialista considerou que Pedro Marques é "um excelente quadro da geração abaixo da sua", o que garante renovação, assim como alguém "com provas dadas na ação governativa".

Enquanto governante, tanto como secretário de Estado da Segurança Social, como na qualidade de ministro dos Planeamento e das Infraestruturas, António Costa defendeu que Pedro Marques deu provas de conhecer bem o tecido social e o território nacional, assim como os mecanismos do acesso aos fundos comunitários.

"Escolhi alguém que está em boas condições de dar continuidade à boa tradição dos cabeças de lista europeus do PS, porque é alguém que conhece profundamente o país e que, durante anos, na qualidade de secretário de Estado da Segurança Social, conheceu como ninguém não só as realidades sociais, como também as instituições do terceiro setor", apontou António Costa.

De acordo com António Costa, já como ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques "conheceu com profundidade o território nacional - não há autarca com quem não tenha falado".

"Se precisamos de alguém para nos representar em Bruxelas, tem de ser alguém que conheça bem o país dos pontos de vista social e do território, não tendo dúvidas sobre as necessidades dos portugueses", alegou também o secretário-geral do PS.~

António Costa defendeu ainda que Pedro Marques, no seu Governo, demonstrou "visão de futuro", estando na primeira linha da elaboração do Programa Nacional de Reformas e do Programa Nacional da Infraestruturas, na reprogramação do Portugal 2020 e na definição estratégica dos fundos comunitários do Portugal 2030.

Ou seja, o novo cabeça de lista do PS "é alguém com conhecimento profundo das instituições europeias, tendo trabalhado com elas nos domínios do Fundo Social Europeu, do FEDER ou dos fundos de coesão".

Mas o líder socialista avançou ainda com um argumento de ordem partidária, frisando que do último congresso do seu partido, em 2018, saiu a determinação de haver "uma renovação geracional".

"É altura do PS apostar nos excelentes quadros que tem na geração abaixo da minha, assegurando a renovação", argumentou.

António Costa deixou também um elogio ao cabeça de lista do PS nas últimas eleições europeias, Francisco Assis, dizendo esperar que continue empenhado ao serviço do seu partido e mostrando-se seguro que "ainda exercerá muitas funções nesta força política.

"Mas, para não quebrar a tradição, não renovámos o cabeça de lista. É sempre muito difícil escolher um cabeça de lista no PS, porque são tantos os bons e as boas candidatas. Mas se é difícil escolher, só há uma solução: Escolher", disse.