Polémica

CP diz que "há décadas" que tem "comboios especiais" e que circulação não é afetada

CP diz que "há décadas" que tem "comboios especiais" e que circulação não é afetada

A CP esclareceu esta sexta-feira que "há décadas" que realiza "comboios especiais", tendo sido feitos 1.706 no ano passado, e garantiu que a sua circulação "é programada", pelo que "não afeta a realização de outros comboios".

Este esclarecimento surge na sequência de uma notícia do "Observador", segundo a qual a CP "aceita os atrasos" noutros comboios para que circulem comboios fretados para a Festa de Verão do PS.

"A CP realiza, há décadas, comboios especiais para os mais diversos clientes. Em 2017, foram realizados 1.706 comboios especiais e até 23 de agosto de 2018 775 comboios", refere a empresa, em comunicado.

"Sempre que se realiza um comboio especial, a CP solicita o respetivo canal horário ao gestor da infraestrutura, uma vez que os mesmos não estão integrados na circulação programada e regular. A IP [Infraestruturas de Portugal] analisa a viabilidade do pedido do operador ferroviário e, em caso positivo, emite um documento designado Carta Impressa, que contém os detalhes técnicos da marcha do comboio em causa", prossegue a empresa de transporte ferroviário.

"Este é um procedimento regular, no dia-a-dia das operações ferroviárias", salienta a CP, garantindo que "a circulação é programada e, portanto, não afeta a realização de outros comboios".

Acrescenta que entre os clientes de comboios especiais realizados pela CP "contam-se entidades de naturezas diversas, designadamente, empresas, associações, grupos de cidadãos, clubes desportivos, partidos, festivais de música, autarquias, entre outros, desde que existam condições operacionais para os realizar, nomeadamente a disponibilidade de canal horário por parte do gestor da infraestrutura e o acordo mútuo relativamente às condições comerciais acordadas".

Também hoje, o secretário-geral do PS, António Costa, tinha afirmado o comboio fretado pelo partido para a festa de verão socialista em Caminha como um "serviço comercial absolutamente normal" e que é prestado a qualquer cliente.

Questionado pelos jornalistas durante uma visita aos Passadiços do Paiva, em Arouca, distrito de Aveiro, realizada enquanto primeiro-ministro, António Costa notou que "um comboio fretado é um serviço prestado a qualquer cliente".

António Costa acabaria por não responder completamente à questão, que confrontava o líder do PS com a notícia do Observador.

O jornal 'online' refere que os comboios que vão levar vários militantes socialistas desde o sul do país até à festa da 'rentrée' socialista, em Caminha, são prioritários e, se for necessário, podem atrasar o serviço regular da CP pelas zonas em que passam.

O percurso de ida e volta, diz o Observador, é Santa Apolónia-Pinhal Novo-Caminha.

ver mais vídeos