Parlamento

Deputada do PSD que votou por Feliciano no Orçamento demitiu-se

Deputada do PSD que votou por Feliciano no Orçamento demitiu-se

A deputada do PSD Mercês Borges, que votou por Feliciano Barreiras Duarte o Orçamento de Estado para 2019, apresentou esta quinta-feira a demissão de todos os cargos em que representava o grupo parlamentar. Negrão aceitou.

"Perante as últimas noticias vindas a publico, a deputada do PSD Maria das Mercês Borges, pediu hoje a demissão de todos os cargos em que representava o Grupo Parlamentar, ao Presidente do Grupo Parlamentar Fernando Negrão", revelou o grupo parlamentar do PSD em comunicado divulgado esta quinta-feira.

A deputada, eleita por Setúbal, era até hoje presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito ao Pagamento de Rendas Excessivas aos Produtores de Eletricidade e Coordenadora do GPPSD na Comissão do Trabalho. Ontem, o jornal online Observador noticiou que foi esta a deputada que votou pelo ex-secretário geral do PSD o OE 2019: Feliciano Barreiras Duarte teve de ausentar-se do plenário nesse dia para acudir a um problema de saúde do filho e a deputada votou por ele. "Posso ter carregado [no botão para votar] porque fazemos isso muitas vezes", disse a deputada ao jornal.

O presidente do grupo parlamentar, Fernando Negrão, aceitou os pedidos de demissão apresentados e designou para novo presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito ao Pagamento de Rendas Excessivas aos Produtores de Eletricidade, o deputado e Vice-presidente da direção do GP, Emídio Guerreiro.

Na quarta-feira, o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, convocou uma reunião extraordinária da conferência de líderes para discutir a questão do registo de presenças dos deputados no Parlamento, por entender que está em causa o "prestígio" do Parlamento e da democracia representativa, com as quais diz não compactuar. Na reunião foi decidida a criação de um grupo de trabalho que recomende alterações à lei que regula as despesas de transporte e alojamento e as ajudas de custo dos deputados. O objetivo é que estas alterações entrem em vigor ainda nesta legislatura.

ver mais vídeos