Igreja

Diocese de Vila Real suspende padre suspeito de engravidar catequista

Diocese de Vila Real suspende padre suspeito de engravidar catequista

O bispo de Vila Real, D. Amândio Tomás, suspendeu o padre Heitor Antunes, suspeito de ter engravidado uma catequista, com quem iniciou uma relação quando esta era menor.

A diocese ordenou que o sacerdote, atualmente a exercer funções numa comunidade de emigrantes portugueses no Canadá, regresse a Portugal, adianta o "Observador", que cita uma fonte ligada à Igreja. Enquanto decorre a investigação interna, Heitor Antunes está impedido de celebrar missas e sacramentos.

De acordo com o jornal online, o sacerdote teve um filho com uma catequista, com quem se envolveu quando esta era menor de idade. O primeiro beijo entre ambos terá acontecido quando a jovem tinha 14 anos, em 2004. Dez anos depois nascia o bebé, altura em que o padre foi transferido para o Canadá.

O bispo de Vila Real emitiu, no início do mês, um decreto cautelar pedindo ao padre Heitor Antunes para regressar a Portugal, na sequência de uma investigação eclesiástica que está a ser feita a alegados atos de abuso sexual de menores. Heitor Antunes terá acatado a decisão do bispo, estando a preparar-se para regressar do Canadá.

A investigação em causa, que continua a decorrer, foi aberta depois de D. Amândio Tomás ter sido contactado pelo "Observador" a propósito do caso, que disse desconhecer até ali.

Qualquer eventual crime cometido pelo sacerdote já se encontra prescrito, pelo que um processo judicial se torna inviável, acrescenta o site.