Escola

Dispensa para acompanhar menores no 1.º dia de aulas deve ser para todos, diz STE

Dispensa para acompanhar menores no 1.º dia de aulas deve ser para todos, diz STE

A presidente do Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE) defendeu esta segunda-feira que a dispensa de três horas diárias para acompanhamento de menor de 12 anos no primeiro dia de escola deve ser alargada a todos os trabalhadores.

"Não deve ser apenas uma medida para a administração pública, deve ser vista como uma medida para todos os trabalhadores", afirmou Helena Rodrigues aos jornalistas, à saída de uma reunião no Ministério das Finanças, onde a proposta do Governo sobre o assunto foi discutida.

No encontro com a secretária de Estado da Administração e do Emprego Público, Fátima Fonseca, esteve ainda a ser debatido no novo curso de formação para técnicos superiores, designado por programa de Capacitação Avançada para Trabalhadores em Funções Públicas (CAT).

A líder do STE considerou que o curso "é uma boa medida", mas defendeu que a capacitação de quadros superiores deve acompanhar a valorização dos salários.

"Não é só capacitar com formação adicional e cada vez remunerar com salário mais baixos", sublinhou Helena Rodrigues, apelando a "melhores remunerações" na administração pública.

O CAT irá substituir o Curso de Estudos Avançados em Gestão Pública (CEAGP) que previa uma propina de cinco mil euros a pagar pelos trabalhadores, garantindo emprego no Estado.

O novo curso, de acordo com a proposta do Governo, estabelece que a propina, a definir pelo executivo, "é suportada integralmente pelos órgãos ou serviços de origem dos respetivos trabalhadores" ou pelo próprio trabalhador no caso de pretender frequentar o curso em regime de autoformação.