Espanha

Quatro mortos em acidente do comboio Vigo-Porto

Quatro mortos em acidente do comboio Vigo-Porto

O descarrilamento do comboio de passageiros que liga Porto a Vigo, Espanha, causou pelo menos quatro mortos, esta sexta-feira de manhã. Uma das vítimas mortais é o maquinista, português.

O acidente ocorreu nas imediações da estação espanhola de Porriño, cerca das 9.30 horas da manhã, hora local, 8.30 horas em Portugal continental. Tinha chegada prevista ao Porto para as 10.12 horas.

Pelo menos quatro pessoas morreram e cerca de 50, de várias nacionalidades, ficaram feridas. O presidente da CP, Manuel Queiró, confirmou que as vítimas mortais são o maquinista, português, dois funcionários da Renfe, um deles revisor, e um cidadão norte-americano. Confirmou ainda que três dos feridos são portugueses. A mesma informação foi avançada pela presidente a Câmara de Porriño, Eva Garcia de La Torre.

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, informou que 12 pessoas feridas continuam hospitalizadas, mas sublinhou que nenhuma corre perigo de vida.

O comboio, com cinco carruagens, procedia de Vigo com destino ao Porto, com 63 pessoas a bordo. Além do maquinista e do revisor, viajavam mais 61 passageiros, de múltiplas nacionalidades. Viajava na linha conhecida com o nome "Celta", inaugurada em 2011.

Segundo Eva Garcia de la Torre disse ao jornal "El País", o acidente ocorreu à saída de uma curva "que não tem má visibilidade". A composição descarrilou à entrada da estação de Porriño e embateu contra um poste de eletricidade.

O Tribunal Superior de justiça da Galiza informou que estão a ser recolhidos dos dados da caixa negra do comboio.

Uma grande operação de socorro foi mobilizada para o local. Segundo a Junta Autónoma da Galiza, dois helicópteros ajudam nas operações. No terreno estão, ainda, três ambulâncias de suporte imediato de vida (UVI móbil de Vigo, Mos e Pontevedra), dez ambulâncias e um veículo de apoio logístico.

A câmara municipal de Vigo decretou três dias de luto oficial. As bandeiras dos edifícios públicos da autarquia da maior cidade da Galiza vão estar durante os próximos três dias a meia haste.

A Adif expressou condolências às famílias das vítimas e anunciou que abriu um inquérito ao acidente.

O vice-presidente da Junta Autónoma da da Galiza, Alfonso Rueda, que se deslocou para o local, expressou, também, condolências às vítimas.

"Ao tomar conhecimento do trágico acidente ferroviário ocorrido esta manhã na localidade espanhola de Porriño, quero transmitir às famílias das vítimas mortais, em nome do povo português e no meu próprio, os sentimentos do nosso profundo pesar e as nossas mais sentidas condolências e desejar aos feridos rápido restabelecimento", manifestou Marcelo Rebelo de Sousa.

ver mais vídeos