Nomeação

Durão Barroso vai ser presidente não-executivo da Goldman Sachs

Durão Barroso vai ser presidente não-executivo da Goldman Sachs

Durão Barroso, o ex-presidente da Comissão Europeia, vai ser ser presidente não-executivo e também consultor da Goldman Sachs.

A notícia foi avançada esta sexta-feira pela "TSF" e entretanto confirmada oficialmente. O banco anunciou, em comunicado, "a nomeação de José Manuel Barroso como chairman não-executivo da Goldman Sachs International. Durão vai também ser um consultor do Goldman Sachs"

"A sua perspectiva, capacidade de avaliação e aconselhamento irão acrescentar muito valor ao Conselho de Administração da Goldman Sachs International, à Goldman Sachs, aos seus acionistas e trabalhadores", refere em o grupo financeiro.

Em declarações ao "Financial Times", Durão diz que conhece bem a União Europeia e "relativamente bem o ambiente no Reino Unido. Se o meu conselho pode ser útil nesta circunstância, estou pronto a contribuir, claro".

O ex-primeiro-ministro português vai mudar-se para Londres e a Goldman Sachs vai tornar-se a sua "mais importante ocupação", mas, diz o "Financial Times", vai continuar ligado ao trabalho académico em Princeton, Lisboa e Geneva.

Durão Barroso tinha já anunciado que não iria voltar à política ativa, depois de ter passado 10 anos à frente da Comissão Europeia. Vai assumir funções já este mês.

O Goldman Sachs é um dos maiores e mais influentes bancos de investimento do mundo e os copresidentes executivos da Goldman Sachs International (GSI), Michael Sherwood e Richard Gnodde, destacaram hoje que Durão Barroso "traz muitos conhecimentos e experiência" ao banco de investimento, para o qual foi nomeado presidente não executivo.

"José Manuel [Durão Barroso] traz muitos conhecimentos e experiência para a Goldman Sachs, incluindo um conhecimento profundo da Europa. Estamos ansiosos por trabalhar com ele, enquanto continuamos a ajudar os nossos clientes a navegar num ambiente de mercado de incerteza económica e de desafios", afirmam os copresidentes executivos da Goldman Sachs International (GSI), Michael Sherwood and Richard Gnodde, numa declaração escrita enviada à Lusa.

"A sua perspetiva, capacidade de avaliação e aconselhamento irão acrescentar muito valor ao Conselho de Administração da Goldman Sachs International, à Goldman Sachs, aos seus acionistas e trabalhadores", referiu a instituição com sede em Nova Iorque, em comunicado hoje divulgado.

Durão Barroso foi presidente da Comissão Europeia de 2004 a 2014 e primeiro-ministro de Portugal de 2002 a 2004.

Foi eleito pela primeira vez para o parlamento português em 1985, ocupando em sucessivos governos os cargos de secretário de Estado da Administração Interna, secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, e ministro dos Negócios Estrangeiros.

Em 1999, foi eleito presidente do Partido Social Democrata e tornou-se líder da oposição.

Antes de iniciar a sua vida política, Durão Barroso assumiu várias posições académicas, entre as quais como professor convidado da Georgetown University.

Mais recentemente, sinaliza a nota, foi professor convidado de Política Económica Internacional na Universidade de Princeton.

É atualmente também professor convidado na Universidade Católica, em Lisboa, na Universidade de Genebra, e no Instituto de Altos Estudos Internacionais e do Desenvolvimento na mesma cidade.

José Manuel Durão Barroso foi reconhecido com vários graus honorários e recebeu mais de 60 condecorações, prémios e distinções, incluindo a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo e o Grande Colar da Ordem do Infante Dom Henrique.

ver mais vídeos