Ordem

Emigração de enfermeiros duplicou em 2018

Emigração de enfermeiros duplicou em 2018

No ano passado houve 2736 enfermeiros a pedir à Ordem uma declaração para o exercício da profissão no estrangeiro. O número foi mais do dobro do que no ano anterior.

Segundo a Ordem dos Enfermeiros (OE), a emigração destes profissionais "voltou a disparar em 2018". Em 2017 tinham sido pedidas 1286 declarações. Um ano depois foram pedidas 2736 (mais 1450).

"É a primeira vez, desde 2015, que a Ordem volta a emitir mais de duas mil declarações para efeitos de emigração, o que coloca 2018 como o terceiro ano com mais enfermeiros a sair do país, depois de 2014 (2850) e 2012 (2814)", avança esta entidade em comunicado.

A OE frisa ainda que, "numa altura em que faltam cerca de 30 mil enfermeiros", no país, "há cerca de 18 mil profissionais a exercer no estrangeiro", com destaque para Inglaterra, Suíça e Bélgica.

Os pedidos de declaração permitem também constatar um aumento da procura pelo Médio Oriente. Mais concretamente, um aumento dos documentos para o exercício da profissão nos Emirados Árabes Unidos.

Os números da OE mostram ainda que em 2017 a quantidade de pedidos foi a mais baixa desde 2011. Também em maio de 2017 o Instituto de Emprego e Formação Profissional registava o número de enfermeiros inscritos mais baixo desde 2010.

Apesar de a Inglaterra ainda ser um dos países com mais enfermeiros portugueses, o Brexit tem estado a afastar os profissionais. Há dois anos, a entidade que regula a atividade no Reino Unido - o Nursing and Midwifery Council - revelou que o número de inscritos tinha caído 94%.