Premium

Escolas só reaproveitam 10% dos manuais usados

Escolas só reaproveitam 10% dos manuais usados

A reutilização dos manuais escolares disponibilizados pelo Ministério da Educação ainda é baixa. Dos livros fornecidos no ano anterior no 1.º Ciclo, só 10% estão a ser reaproveitados este ano e um quarto das escolas não conseguiu reutilizar qualquer livro. Mas há bons exemplos: 210 agrupamentos superaram a média nacional.

Destes 210 estabelecimentos (quase um terço dos agrupamentos do país com escolas primárias), mais de 60% encontram-se nas regiões do Norte e de Lisboa e Vale do Tejo. Aliás, é na capital que se localiza o agrupamento com nota mais alta de reaproveitamento: Escolas de Marquesa de Alorna. Seguem-se os agrupamentos de escolas de Albufeira Poente, em Albufeira, do Vale de S. Torcato, em Guimarães, e de José Silvestre Ribeiro, em Idanha-a-Nova.

O Ministério da Educação dá conta, ainda, de cerca de 20 agrupamentos em que metade dos manuais do 1.º Ciclo foi reutilizada e de 51 agrupamentos com um aproveitamento total (100%) dos livros em alguns anos de escolaridade. Outros estabelecimentos (184 escolas) ficaram muito próximos dessa marca. É o caso do Agrupamento de Escolas de António Alves Amorim, em Santa Maria da Feira, que reutilizou 91% dos manuais no 2.º ano, 93% no 3.º ano e 89,7% no 4.º ano. Não foi possível fazer o mesmo no 1.º ano. E isso é comum.

Taxa maior nos 3.º e 4.º anos