Premium

Estado falha nos apoios aos cuidados continuados

Estado falha nos apoios aos cuidados continuados

O Estado deve 6,4 milhões de euros às unidades de cuidados continuados relativos a aumentos de 2017 e 2018 que não foram pagos.

A denúncia é da Associação Nacional de Cuidados Continuados (ANCC), que vai processar o Estado em nome de 29 associados, que reclamam 1,163 milhões de euros. Segundo José Bourdain, presidente da ANCC, está em causa a sustentabilidade das unidades e algumas estão "em risco de fechar as portas". O Ministério da Saúde não quis falar sobre a dívida e sublinhou o esforço para "assegurar a sustentabilidade das instituições".

"O que o Governo está a fazer com os cuidados continuados é inqualificável, desrespeitoso e discriminatório. É um roubo", critica o presidente da ANCC. Bourdain diz que o Governo não está a cumprir o que foi aprovado e contratualizado com as entidades representativas do setor social nos acordos assinados em 2017 e 2018, no que respeita às unidades de cuidados continuados das cinco regiões.