Incêndios

Este ano já foram detidos 67 incendiários

Este ano já foram detidos 67 incendiários

"É um número recorde", segundo a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, em declarações no Parlamento.

Este ano, já foram detidos 67 incendiários. O número foi revelado na tarde desta quinta-feira pela ministra da Administração Interna. Constança Urbano de Sousa está a ser ouvida na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias a pedido do PSD sobre as falhas na rede de comunicações SIRESP e o combate aos incêndios.

Respondendo ao deputado do PSD Carlos Abreu Amorim, a ministra garantiu que o SIRESP, que tem falhado nos teatros de operações, está operacional. "Se não estivesse, não tínhamos a taxa de sucesso no ataque inicial [aos incêndios] que hoje temos", garantiu Constança Urbano de Sousa, sublinhando que o país está "numa situação de seca extrema", comum a "toda a bacia do Mediterrâneo".

Constança Urbano de Sousa acrescentou ainda ter "confiança" na rede de telecomunicações. Ainda assim, a ministra admitiu que há "um problema sério de resiliência" com o sistema, que é "preciso resolver" e que "não é de agora". "No verão de 2013, o SIRESP também falhou nos incêndios do Caramulo em que morreram vários bombeiros", recordou Constança Urbano de Sousa.

Sobre o parecer jurídico que o Ministério da Administração Interna (MAI) encomendou à empresa de advogados Linklatters relativo à polémica cláusula que iliba a empresa SIRESP de falhas decorrentes de catástrofes naturais, a ministra revelou que irá custar 4500 euros. O PSD confrontou a tutela com o facto de a firma de advogados ter sido a mesma que elaborou o contrato entre a SIRESP e o Estado há mais de 10 anos, mas a ministra explicou que a escolha foi feita exatamente por isso. "Quando temos dúvidas, perguntamos a quem sabe", justificou.

ver mais vídeos