Contraordenação

Fernando Medina subiu ao Pico sem autorização e arrisca multa até 4 mil euros

Fernando Medina subiu ao Pico sem autorização e arrisca multa até 4 mil euros

Acompanhado por dois familiares, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa aventurou-se numa subida ao Pico, nos Açores, sem cumprir as regras da Direção Regional do Ambiente. Foi aberto um processo de contraordenação. A multa pode ascender aos quatro mil euros.

Segundo o semanário açoriano "Ilha Maior", no passado dia 24 de julho, Fernando Medina contornou as regras e não fez o registo obrigatório na Casa da Montanha antes de escalar o Pico. Nesse dia, conta a RTP Açores, a opção de fazer a subida de forma autónoma estava esgotada. Mais de 50 pessoas aguardam por uma vaga. Mas Medina subiu. Sem registo nem equipamento de segurança.

Mais tarde, partilhou a experiência na sua página de Facebook com direito a várias fotografias e um elogio a "uma viagem inesquecível" aos Açores.

Entretanto, ao jornal "Observador, fonte do gabinete do autarca lisboeta explicou que "ele registou tudo quando desceu, quando soube que tinha que se registar" e "pagou".

Contudo, sem revelar identidades, a Direção Regional do Ambiente confirmou haver um processo de contraordenação sobre três pessoas de nacionalidade portuguesa, dois homens e uma mulher residentes em Lisboa.

Em caso de negligência, a multa oscila entre os 200 e os dois mil euros. Já no caso de dolo, entre os 400 e os quatro mil euros.

ver mais vídeos