Premium

Firmas do "2020" suspeitas de viciar concursos públicos

Firmas do "2020" suspeitas de viciar concursos públicos

Os empresários detidos por indícios de terem montado uma fraude milionária com fundos europeus também são suspeitos de ter viciado concursos públicos, usando as mesmas sociedades-fantasma para emitir faturas falsas, na elaboração dos projetos de apoios comunitários.

Os cinco empresários, residentes em Santo Tirso, foram quinta-feira apresentados no Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa, mas os interrogatórios não foram concluídos. Por isso, regressam esta sexta-feira a tribunal.

A investigação da Polícia Judiciária e da Autoridade Tributária, que levou à constituição como arguido do vice-presidente da Câmara de Santo Tirso, Alberto Costa, e de uma chefe de departamento da Autarquia, Maria Sousa, acredita que os empresários tinham um esquema para ganhar concursos públicos.