Incêndios

Fogos dos dias 15 e 16 são "maior sinistro" de sempre para as seguradoras

Fogos dos dias 15 e 16 são "maior sinistro" de sempre para as seguradoras

"É o maior sinistro da história da atividade seguradora em Portugal", garante a Associação Portuguesa de Seguradores, que estima prejuízos de 200 milhões de euros nos incêndios de dias 15 e 16. Seguradoras receberam mais de duas mil participações.

Os incêndios dos dias 15 e 16 de outubro que lavraram na zona Centro e provocaram a morte de pelo menos 48 pessoas, causaram prejuízos de 200 milhões de euros. O valor foi adiantado na tarde desta sexta-feira pela Associação Portuguesa de Seguradores (APS) e diz respeito apenas a perdas cobertas por seguros. Até ao momento, a APS diz ter já recebido mais de duas mil participações de sinistros - um número que "deverá aumentar".

"É o maior sinistro da história da atividade seguradora em Portugal", garante a associação, que acrescenta: "As seguradoras estão no terreno a recolher as informações necessárias para a gestão dos sinistros e pretendem regularizar os mesmos o mais rapidamente possível para que as pessoas e as empresas que, responsavelmente, seguraram os seus bens e património, possam retomar a normalidade possível nas suas vidas".

A APS adianta, por outro lado, que as seguradoras acordaram "assumir, desde logo, o pagamento das indemnizações devidas". E o Fundo Solidário criado na altura da tragédia de Pedrógão Grande (onde os incêndios de 17 de junho causaram 64 mortos) será reforçado para "apoiar solidariamente os familiares das pessoas falecidas e os feridos graves que resultaram destes incêndios, privilegiando as situações em que não existe cobertura de seguros".