Nacional

Governo desmente adiamento da linha Aveiro/Salamanca

Governo desmente adiamento da linha Aveiro/Salamanca

O secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme d'Oliveira Martins, disse, esta segunda-feira, que o governo está a trabalhar na candidatura da ligação ferroviária de Aveiro a Salamanca.

Segundo aquele governante, "é totalmente falso que o governo tenha dado orientações para adiar o investimento nas infraestruturas ferroviárias", contrariando assim declarações feitas hoje aos empresários da região de Aveiro, sobre aquela ligação ferroviária, pelo líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro.

"Não há adiamento absolutamente nenhum. Em 12 de fevereiro foi apresentado o Plano de Investimento em Infraestruturas, que contempla o investimento sem precedentes nas infraestruturas ferroviárias, de 2,7 milhões de euros, tendo como prioridades o corredor internacional norte, de Aveiro a Vilar Formoso, e o corredor internacional sul, de Sines a Caia", disse Guilherme d'Oliveira Martins à Lusa.

Segundo o secretário de Estado, "não está nada na gaveta e antes pelo contrário: o investimento é para avançar e os dois corredores internacionais são prioridades do governo, a concretizar nos próximos anos".

Em relação à pretensão apresentada pela Associação Industrial do Distrito de Aveiro (AIDA) na reunião realizada hoje com deputados do PSD, da ligação Aveiro/Viseu/Vilar Formoso em bitola ibérica e europeia, o secretário de Estado afirmou que o governo está a trabalhar na respetiva candidatura a financiamento europeu.

"O corredor internacional norte contempla um eixo que já existe, entre Alfarelos, Mangualde e Vilar Formoso, de que já temos candidatura aprovada, e também a ligação Aveiro/Viseu/Vilar Formoso, que será objeto de candidatura e que estamos a tratar de todo o processo", esclareceu.

Guilherme d'Oliveira Martins reagiu às declarações de Montenegro, que disse aos empresários para não esperarem que essa ligação ferroviária avance porque o governo terá adiado esses investimentos, afirmando que "os anteriores governos é que estiveram de costas voltadas para a ferrovia" e que o atual "mais do que duplica" o investimento na rede ferroviária, já no Orçamento de 2017.

De acordo com o secretário de Estado, é o atual governo que tem "um plano sem precedentes", dirigido para a construção de 214 quilómetros de novas linhas ferroviárias e modernização de 979 quilómetros de linhas existentes, a executar num período de seis anos.

"Estamos a falar de duas grandes prioridades, centradas no transporte internacional de mercadorias para os nossos principais portos, servindo as nossas empresas: o corredor internacional norte, de Aveiro a Vilar Formoso, e o corredor internacional sul Sines-Caia", concluiu.

ver mais vídeos