Sindicatos

Greve dos trabalhadores da função pública para 26 de maio

Greve dos trabalhadores da função pública para 26 de maio

A Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais anunciou esta quarta-feira uma greve nacional de 24 horas para o dia 26 de maio para reivindicar aumentos salariais e 35 horas de trabalho semanais.

Em conferência de imprensa, a dirigente da FNTSFPS, Ana Avoila, explicou que a ação de protesto pretende reivindicar aumento de salários e do pagamento de horas extraordinárias e a aplicação para todos os trabalhadores das 35 horas.

A sindicalista notou que as maiores participações nas greves costumam ser dos setores da saúde e educação, "mas o sentimento que existe é comum a todos" os 350 mil funcionários da administração central.

Segundo a dirigente, os trabalhadores não querem esperar pelo próximo Orçamento de Estado [de 2018] para verem repostos os rendimentos.

"Os trabalhadores não podem ver a sua vida parada à espera que o Governo cumpra o seu programa, quando sabemos que há dinheiro porque o país, segundo as opiniões e as estatísticas, está a viver melhor", garantiu Ana Avoila, acrescentando que a diminuição do défice das contas públicas se tem feito à "custa da redução dos direitos dos trabalhadores da função pública".

A coordenadora da Frente Comum denuncia que "continua a sair dinheiro todos os dias para parcerias público privadas e há a questão do Novo Banco" e, como o "Orçamento de Estado [de 2018] está a ser preparado já, não é em junho, julho, agosto ou em setembro que os trabalhadores vão lutar".

"Nós queremos ver as verbas que vão discutir no OE, mas achamos que há dinheiro para resolver já alguns problemas", concluiu.