Premium

Greves da Função Pública duplicaram no Governo de Costa

Greves da Função Pública duplicaram no Governo de Costa

As greves de trabalhadores da Administração Pública já duplicaram em 2018 face ao ano em que António Costa assumiu o cargo de primeiro-ministro: registaram-se 87 protestos em 2015 e este ano, até final de outubro, os pré-avisos chegaram a 173. No setor privado, as paralisações têm-se mantido a níveis equivalentes nos últimos anos, mas podem subir em 2019.

"Os grupos profissionais mais organizados sentiram-se capazes de, perante um Governo mais acessível para atender às reivindicações, exigir a recuperação de condições económicas e de outras que surgem das expectativas elevadas", analisa Manuel Carlos Silva, sociólogo e investigador na área do trabalho. As greves são, afinal, sinal de "um Governo mais aberto do que o anterior", uma vez que, nos anos da crise, "houve duas ou três iniciativas com grande adesão e, depois, o medo de ser mal visto ou despedido por fazer greve calou os protestos".

Economia dá o mote