Administração Interna

Helicópteros Kamov avariados só estão prontos depois do verão

Helicópteros Kamov avariados só estão prontos depois do verão

O secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, disse esta quarta-feira que os dois helicópteros Kamov avariados devem estar operacionais em outubro ou novembro, estando neste momento a ser feita uma avaliação final antes da reparação.

Questionado pelos deputados da comissão parlamentar de Agricultura e Mar sobre a atual situação de três Kamov do Estado português, Jorge Gomes avançou que os dois helicópteros inoperacionais vão ser agora reparados e o futuro do terceiro aparelho, acidentado desde 2012, vai ser alvo de uma decisão política a curto-prazo.

O secretário de Estado explicou que os dois helicópteros avariados já não estão sob a responsabilidade da empresa que ganhou o concurso público internacional para a manutenção e operação destes meios aéreos, estando já na posse do Estado.

Jorge Gomes disse que, neste momento, está a decorrer uma fase final de avaliação, tendo o Estado português contado com o apoio da embaixada russa em Lisboa para conseguir fazer o ponto de contacto com o fabricante.

O governante adiantou que em julho deverá ser aberto o concurso público internacional, devendo os dois Kamov estar prontos em outubro e novembro.

Estes dois Kamov inoperacionais já não integraram o dispositivo de combate a incêndios de 2015 e 2016.

Dos seis Kamov que compõem a frota do Estado, apenas três estão atualmente aptos para voar.

Sobre o meio aéreo que sofreu um acidente durante o combate a um incêndio florestal, Jorge Gomes esclareceu aos deputados que "não compensa" a reparação, tendo em conta o seu custo elevado.

Nesse sentido, sublinhou que há várias possibilidades para a sua substituição, nomeadamente a troca por outro Kamov mais pequeno, mas carecem de "uma avaliação e uma decisão política que serão tomadas a curto-prazo".

O secretário de Estado esteve na comissão parlamentar de Agricultura e Mar para apresentar o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) para 2017.