Premium

"Hélis" de emergência proibidos de aterrar durante a noite em dez hospitais

"Hélis" de emergência proibidos de aterrar durante a noite em dez hospitais

Dez hospitais estão proibidos de acolher helicópteros de emergência, entre eles o Santa Maria, em Lisboa. Dois nem certificação têm para voos durante o dia.

Um terço dos heliportos dos hospitais estão impedidos de receber voos noturnos de emergência médica por não cumprirem vários requisitos técnicos necessários. Entre eles, o facto de não terem sinalização luminosa que auxilie a aterragem, durante a noite, dos helicópteros ao serviço do INEM ou da Força Aérea, que também conta com aeronaves que fazem transporte de doentes urgentes. Um dos casos mais paradigmáticos é o do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, o maior do país, que precisa recorrer aos aeroportos militares da capital.

Das 33 unidades hospitalares que têm instalações para receber helicópteros [ver infografia ao lado], sobre dez recai a proibição da aterragem de voos noturnos, imposta pela Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), entidade que certifica e fiscaliza o cumprimento dos requisitos. Ainda há outros dois - o de Guimarães e o de Lamego - que nem sequer estão certificados para qualquer voo.