Saúde

Infarmed afasta risco de morte súbita por uso de antidepressivo

Infarmed afasta risco de morte súbita por uso de antidepressivo

Autoridade do Medicamento garantiu, esta tarde de quarta-feira, que não há casos de morte súbita causados pela utilização da sertralina, um antidepressivo que está a ser associado a pelo menos 14 mortes por ataque cardíaco no Reino Unido.

O jornal britânico "The Sun" avançou esta terça-feira que, desde 1990, 164 pessoas que tomavam sertralina morreram no Reino Unido. Destes casos, 14 terão sido provocados por ataques cardíacos.

Em reação à notícia que foi sendo replicada em vários órgãos de comunicação social portugueses, o Infarmed emitiu um esclarecimento em que refere que "não existem em Portugal notificações de casos de morte súbita causados pela utilização da sertralina nem foram identificados dados novos que questionem o perfil de segurança de utilização deste medicamento".

A sertralina é um antipressivo vendido em Portugal e usado por milhares de portugueses. Para tranquilizar os utilizadores, a Autoridade Nacional do Medicamento garante que o medicamento é seguro dentro das condições de utilização estabelecidas pelo médico prescritor e aprovadas para a sua comercialização.

O Infarmed refere ainda que, tal como para qualquer outro medicamento, a relação risco-benefício da utilização da sertralina está constantemente a ser monitorizado pelo Infarmed, outras agências europeias e pela Agência Europeia do Medicamento.

De acordo com o jornal The Sun, a Agência Reguladora dos Medicamentos do Reino Unido (MHRA) emitiu um comunicado afirmando que 164 pessoas morreram desde 1990 depois de tomarem este fármaco, sendo que 14 dessas mortes foram relacionadas a problemas cardíacos.

Também em comunicado, o porta-voz da MHRA referiu que "os pacientes são aconselhados a divulgarem ao seu médico se sofrem de algum problema do coração ou se sofrem de doenças coronárias, se têm um historial familiar de insuficiência cardíaca ou níveis baixos de potássio, ritmo cardíaco fraco ou se estão a tomar algum outro tipo de medicação que possa afetar o coração".

O diário britânico conta que, no ano passado, um jovem de 24 anos que tomava este fármaco sofreu um ataque cardíaco. Liam Batten tomava sertralina prescrita pelo médico para aliviar sintomas de ansiedade. Morreu nove dias depois de o medico lhe ter aumentado a dose do medicamento, ainda dentro dos níveis recomendados.

De acordo com o The Sun, a autópsia terá revelado níveis "elevados" da presença de sertralina no organismo, que terão provocado uma paragem cardíaca.

O jornal conta ainda que Sadie Stock, de 28 anos, tomava este medicamento para tratar uma depressão pós-parto quando caiu inanimada na rua. Na autópsia foi confirmado que a paragem cardíaca foi devido à toma da Sertralina, refere o The Sun.