Óbito

João Vasconcelos: PS lamenta morte de "um dos melhores quadros do partido"

João Vasconcelos: PS lamenta morte de "um dos melhores quadros do partido"

O PS expressou, esta terça-feira, o seu "choque e mais profundo pesar" pela "inesperada notícia da morte" de João Vasconcelos, aos 43 anos, o ex-secretário de Estado da Indústria do governo de António Costa e "um dos melhores quadros do partido".

"Com apenas 43 anos, João Vasconcelos foi um dos maiores divulgadores e impulsionadores da Economia Digital e do apoio ao empreendedorismo em Portugal, um entusiasta da promoção da sustentabilidade e responsabilidade social das empresas", lê-se numa nota colocada no 'site' oficial do Partido Socialista.

A nota recorda que João Vasconcelos foi o diretor executivo da StartUp Lisboa entre 2011 e 2015, que deu "um importante impulso para o renascimento económico da capital".

"Todos os socialistas sentem muito dolorosamente esta imensa perda, para o Partido e para Portugal, de alguém que ainda tinha muito para dar ao país, na luta por uma sociedade mais justa e moderna", sublinha o texto.

O PS expressa "choque e o seu mais profundo pesar pela inesperada notícia da morte do nosso querido camarada João Vasconcelos, um dos melhores quadros do nosso Partido, onde desempenhou vários cargos, tendo atualmente assento na Comissão Nacional".

"Neste momento de profunda consternação para todos nós, expressamos as mais sentidas condolências à família do João Vasconcelos, aos seus e nossos camaradas e aos seus muitos amigos", concluiu o comunicado.

João Vasconcelos morreu durante a noite de hoje em Lisboa, disse à agência Lusa fonte do PS.

O dirigente socialista, que integrou o Governo de António Costa e destacou-se por participar no processo da instalação da Web Summit em Portugal, morreu subitamente e só a autópsia poderá revelar a causa da morte, acrescentou a mesma fonte.

Vasconcelos, também militante socialista, saiu do Governo em julho de 2017 após ser constituído arguido pelo Ministério Público no processo que investigava "o pagamento pela Galp Energia S.A. de viagens, refeições e bilhetes para diversos jogos da seleção nacional no Campeonato Europeu de Futebol de 2016", o qual acabou por ser arquivado.