Natureza

Lince ibérico espanhol fez 170 km para acasalar em Portugal

Lince ibérico espanhol fez 170 km para acasalar em Portugal

De Espanha também há bons casamentos, pelo menos entre linces ibéricos. "Mundo", um exemplar macho desta espécie, nascido na região de Doñana, percorreu quase 200 quilómetros para acasalar com "Malva", em Serpa.

Os biólogos do Parque Natural do Vale do Guadiana acreditam que as primeiras crias de lince nascidas em Portugal, em 2017, resultam do encontro entre "Mundo" e "Malva", que terão acasalado em dezembro.

"Mundo" tinha sido localizado pela última vez em novembro. Este macho, com dois anos de idade, nasceu no campo e migrou para a zona do vale do Guadiana para acasalar. "Malva" foi libertada no concelho de Mértola em fevereiro de 2016. Confirmada como reprodutora, está, desde março, estabilizada num território tranquilo situado perto do rio Guadiana, no concelho de Serpa, e mantém-se junto às suas crias.

Os vestígios encontrados no campo e indicam que o macho se mantém junto a esta fêmea, reforçando a possibilidade que seja o progenitor da nova ninhada.

"Esta dupla ocorrência e o encontro dos dois linces, comprova a conexão efetiva entre duas populações selvagens de lince-ibérico na Península Ibérica, com a existência de um corredor natural entre os dois países", pode ler-se no comunicado enviado pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, na quinta-feira.

A população do Vale do Guadiana conta, neste momento, com 12 subadultos e adultos com território já estabelecido. O projeto LIFE Iberlince, cofinanciado pela Comissão Europeia, e que reúne parceiros públicos e privados portugueses e espanhóis, tem o objetivo de recuperar a distribuição histórica do lince-ibérico em Portugal e em Espanha, de onde tinha desaparecido. No âmbito do projeto, já foram libertados 170 animais.

Conteúdo Patrocinado