Premium

Marcar exames no IMT chega a demorar meses

Marcar exames no IMT chega a demorar meses

Instituto contrata dez examinadores, que entrarão em setembro. Até lá, férias atrasam ainda mais agendamentos.

A falta de examinadores para os centros de exames de condução do Instituto da Mobilidade e Transportes (IMT) faz com que, em alguns casos, a demora na marcação chegue a três ou quatro meses. O IMT assegura que os 45 dias de demora de Bragança, Coimbra e Santarém são a exceção; no resto do país, diz, as marcações são feitas num mês. Mas as escolas de condução referem ao JN prazos muito maiores - mesmo sem contar com o período de férias.

Cada centro tem de ter um mínimo de dois examinadores para que se possa sortear quem fará cada exame. E para os 21 centros de exames do IMT, fonte oficial garantiu haver 42 examinadores "a título permanente ou em acumulação de funções". Em setembro, entrarão mais dez e o instituto admite recrutar outros tantos até ao final do ano.