Óbito

Marcelo elogia contributo de Ruben de Carvalho para "espírito cívico e democrático"

Marcelo elogia contributo de Ruben de Carvalho para "espírito cívico e democrático"

O presidente da República elogiou o contributo do dirigente do PCP Ruben de Carvalho para "um espírito cívico e democrático aberto" em Portugal e lamentou a perda deste "bom amigo" e "homem de cultura".

"Conheci-o muito bem, era um bom amigo. Ele, aliás, só tinha amigos por toda a parte. Ele foi o exemplo de quem soube cultivar a amizade para além das fronteiras ideológicas", declarou Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas, na cidade cabo-verdiana do Mindelo, na ilha de São Vicente, onde esta terça-feira terminam as comemorações do Dia de Portugal.

O chefe de Estado, que já tinha divulgado uma nota sobre a morte de Ruben de Carvalho, descreveu-o como "um homem de cultura" e " um grande criador", referindo que a "Festa do Avante!" foi "uma criação dele", recordando as suas "várias idas" a esse "grande acontecimento cultural".

"E foi muito importante no cultivar de um espírito cívico e democrático aberto no nosso país. Apresento as minhas condolências à sua família, a começar na sua mulher e minha colega na Faculdade de Direito de Lisboa, e ao PCP", considerou.

Ruben de Carvalho era responsável na Câmara Municipal de Lisboa pelo Roteiro do Antifascismo, membro do Comité Central do PCP e fazia parte da organização da Festa do Avante! desde o seu início, em 1976.

Jornalista de profissão, Ruben de Carvalho foi também chefe de redação do semanário "Avante!", órgão central do PCP, entre abril de 1974 e 1995, chefe de redação da revista "Vida Mundial" e redator coordenador do jornal "O Século".

Ruben de Carvalho foi membro das "comissões juvenis de apoio" à candidatura do general Humberto Delgado, chefe de gabinete do ministro Sem Pasta, Francisco Pereira de Moura, no I Governo Provisório após o 25 de Abril de 1974, deputado à Assembleia da República eleito pelo distrito de Setúbal e vereador na Câmara Municipal de Lisboa.

Tinha 74 anos e era o único membro no atual Comité Central do PCP que tinha estado preso nas cadeias da PIDE durante o Estado Novo.

Ruben de Carvalho manteve, na RDP1, o programa "Radicais Livres", onde debatia temas de atualidade com Jaime Nogueira Pinto.