O Jogo ao Vivo

"Expresso"

Material furtado em Tancos ainda não foi todo recuperado

Material furtado em Tancos ainda não foi todo recuperado

O material que foi furtado do quartel de Tancos, Santarém, em 2017, ainda não foi todo recuperado, noticia o semanário "Expresso" este sábado, que refere que ainda existem granadas e explosivos por devolver.

Segundo o semanário, os procuradores do Ministério Público salientam num recurso que, "ao contrário do que tinha sido veiculado pelo Exército e pelo Ministério da Defesa", ainda existe material que não foi recuperado.

O jornal salienta que em causa estão granadas e explosivos, referindo que o Ministério Público considera que "a segurança nacional está em perigo enquanto os assaltantes não forem capturados".

O furto de material militar de Tancos - instalação entretanto desativada - foi detetado a 28 de junho durante uma ronda móvel, pelas 16.30 horas, por um sargento e um praça ao serviço do Regimento de Engenharia 1.

Entre o material furtado estavam granadas, incluindo antitanque, explosivos de plástico e grande quantidade de munições.

A 18 de outubro passado, a Polícia Judiciária Militar recuperou, na zona da Chamusca, quase todo o material militar que tinha sido furtado da base de Tancos no final de junho, à exceção das munições de 9 milímetros.

Contudo, entre o material encontrado, num campo aberto na Chamusca, num local a 21 quilómetros da base de Tancos, havia uma caixa com cem explosivos pequenos, de 200 gramas, que não constava da relação inicial do que tinha sido roubado.

ver mais vídeos