Zolgensma

Medicamento que poderá curar Matilde envolto em polémica nos EUA

Medicamento que poderá curar Matilde envolto em polémica nos EUA

A farmacêutica Novartis, que fabrica o Zolgensma, o medicamento destinado a doentes com Atrofia Muscular Espinhal (AME), é acusada, na edição desta quarta-feira do "The New York Times" (NYT), de ter ocultado e manipulado os dados que forneceu à Autoridade Americana do Medicamento .

Este é o medicamento mais caro do mundo e o Estado português já comprou duas unidades para ministrar às bebés Matilde, de 4 meses, e Natália, com a mesma idade. A alegada não transparência nos dados fornecidos à entidade que autoriza a entrada no mercado de medicamentos nos Estados Unidos decorreu durante o período de avaliação do fármaco, que apenas foi aprovado em maio.

O Zolgensma, que custa mais de dois milhões de euros, ficou conhecido dos portugueses depois de uma enorme campanha iniciada pelos pais de Matilde, uma "bebé especial" que sofre de AME. Depois de terem conseguido o dinheiro, através de donativos, o Estado português anunciou que suportava os custos do medicamento não só para Matilde mas também para outra menina que reunia as condições para o tomar.

Está agendada para o final do mês a primeira toma do remédio, mas ainda falta a aprovação da Agência Europeia de Medicamentos, apesar de a Autoridade Americana do Medicamento já ter autorizado a sua comercialização.