Bamako

Militar português morre após ataque terrorista no Mali

Militar português morre após ataque terrorista no Mali

Um militar português ao serviço da missão da União Europeia no Mali morreu na sequência de um ataque terrorista ocorrido domingo, nas imediações de Bamako, anunciou, esta segunda-feira, o Estado-Maior General das Forças Armadas.

Um segundo militar português "saiu ileso deste ataque", que ocorreu no domingo pelas 16 horas, no Hotel Le Campement Kangaba, nas imediações de Bamako, segundo um comunicado divulgado pelo Estado-Maior General das Forças Armadas (EMGFA).

O militar português que perdeu a vida no ataque era natural de Valongo e prestava serviço no Comando de Pessoal no Porto. O Sargento-Ajudante Paiva Benido, de 42 anos, casado e com duas filhas menores (11 e um ano de idade), integrava o contingente nacional na Missão de Treino da União Europeia no Mali, composto por 10 elementos.

Uma nota do Exército adianta que o militar morreu "devido a confrontos ocorridos na sequência de um ataque de elementos rebeldes que provocou outras baixas entre elementos de outros contingentes".

Outros militares ficaram feridos, "incluindo um português", que "já se encontra completamente recuperado", refere a mesma nota.

Segundo o comunicado divulgado pela EMGFA, o local onde ocorreu o ataque, Hotel Le Campement Kangaba, "é reconhecido e autorizado pela Missão de Treino no Mali - ao serviço da qual estava o militar - como 'Wellfare Center" entre os períodos de atividade operacional dos militares que prestam serviço naquele país.

Um inquérito "no sentido de esclarecer as circunstâncias que envolveram o ataque terrorista em Bamako" já foi instaurado, adiantou o EMGFA.

Conteúdo Patrocinado