Nacional

Mota Soares, da Juventide Centrista para a Segurança Social

Mota Soares, da Juventide Centrista para a Segurança Social

O advogado de 37 anos Pedro Mota Soares, anunciado esta sexta-feira como ministro da Solidariedade e da Segurança Social, é um dos jovens "quadros" democratas-cristãos oriundos da Juventude Centrista/Gerações Populares, contando já com cerca de dez anos na Assembleia da República como deputado.

Com dois mandatos como líder parlamentar no currículo, o lisboeta Luís Pedro Russo da Mota Soares, nascido pouco mais de um mês depois do 25 de Abril (29 de Maio de 1974), é casado e pai de dois filhos, mas não abdicou da sua pequena Piaggio Vespa numa das reuniões na sede dos parceiros de coligação do PSD.

O causídico, pós-graduado em Direito do Trabalho e assistente universitário na Faculdade de Direito da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, desempenhou também dois mandatos à frente da juventude partidária dos populares entre 1996 e 1999.

Entre 2002 e 2005 desempenhou o cargo de secretário-geral do CDS-PP, já depois de ter começado a vida parlamentar, na VIII Legislatura, entre 1999-2002.

Nas suas passagens por São Bento, contabilizando ainda o período entre 2005 e 2011, Mota Soares participou nos trabalhos de diversas das comissões parlamentares em variadas áreas como a Saúde e Toxicodependência ou o Trabalho e Segurança Social.

A Comissão Eventual de Revisão Constitucional e o Grupo de Trabalho da Reforma do Parlamento também contaram ao longo da última década com o contributo de Mota Soares.

O actual vice-presidente do CDS-PP coordenou igualmente a Comissão do Trabalho, Segurança Social e Administração Pública e foi vice-presidente da Comissão de Ética, Sociedade e Cultura.

ver mais vídeos