Transportes

Motoristas de combustíveis admitem nova greve a partir de dia 7

Motoristas de combustíveis admitem nova greve a partir de dia 7

A greve está em cima da mesa dos motoristas de materiais perigosos, caso a ANTRAM não aceite que o salário base corresponda a dois salários mínimos nacionais e se não for criada uma carreira específica. A data limite é o próximo dia 7. "Não vamos andar oito meses a brincar", diz o Sindicato Motoristas Matérias Perigosas.

Acabou num impasse a reunião do Sindicato Motoristas Matérias Perigosas (SNMMP) e da Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM). O vice-presidente do sindicato, Pedro Pardal Henriques, diz que "muito provavelmente" os trabalhadores avançarão para nova greve se, até à próxima reunião, a associação não aceitar as duas reivindicações base: um salário base de 1200 euros e a criação da carreira específica de motorista de materiais perigosos.

"A pedido do Governo, demos uma semana à ANTRAM para nos dar resposta", disse. A greve que quase paralisou o país, este mês, foi suspensa para que decorram negociações, até ao final do ano, com mediação do Governo. Mas Pedro Pardal Henriques diz que os motoristas só negociarão se as duas condições base forem aceites, à partida. "Não vamos andar oito meses a brincar", afirmou.

O SNMMP assegura ter apresentado hoje à associação patronal uma proposta de contrato coletivo de trabalho.