O Jogo ao Vivo

Premium

Noa e Simão testam compatibilidade com novo fármaco

Noa e Simão testam compatibilidade com novo fármaco

Noa e Simão, as duas crianças com atrofia muscular espinal tipo 1 que estão a ser seguidas pelo Hospital Pediátrico de Coimbra, fizeram análises na terça-feira para avaliar se podem tomar o medicamento Zolgensma, o mesmo que foi administrado a Matilde e a Natália, no final de agosto, no Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

As análises têm de seguir para Roterdão, na Holanda, e os resultados da compatibilidade serão determinantes para dar seguimento ao plano terapêutico. Porém, a "boa notícia" veio seguida de uma "má notícia", contou ao JN, Vânia Feteira. Segundo a mãe de Noa, a neuropediatra que segue a bebé informou que "há dificuldades com o transporte das análises para a Holanda" e não soube esclarecer quando é que as amostras chegariam ao destino.

"Disse-me que podiam ficar quatro a cinco semanas em Coimbra", afirmou Vânia Feteira, que na sequência do caso Matilde, tem denunciado a dualidade de critérios entre hospitais para casos idênticos.