Premium

Norte pode perder curso de Engenharia Florestal

Norte pode perder curso de Engenharia Florestal

O curso de Engenharia Florestal da Escola de Ciências Agrárias da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) está entre os 19 que não podem abrir vagas no próximo concurso nacional de acesso ao Superior, apurou o JN.

Isto porque nos últimos dois anos consecutivos teve menos de dez inscritos no 1.º ano. Sendo que, à luz do despacho de fixação de vagas enviado quinta-feira à noite pelo Ministério da Ciência e Ensino Superior a universidades e politécnicos, naquelas condições fica vedada a abertura de vagas.

A concretizar-se, passará a haver apenas uma licenciatura em Engenharia Florestal em Portugal, concretamente no Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa. A esperança da UTAD reside, agora, num regime de exceção. Na proposta enviada por Manuel Heitor, e conforme o JN noticiou na edição de ontem, admite-se abrir uma exceção quando estejam em causa "ofertas de reduzida dispersão na rede pública" ou quando "exista procura confirmada de estudantes internacionais".