Atendimento

Mais de 40 centros de saúde do Norte com horários alargados

Mais de 40 centros de saúde do Norte com horários alargados

A Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N) anunciou esta sexta-feira o "alargamento de horários" em 44 centros de saúde para adequar os serviços "às temperaturas adversas dos próximos dias", indicando prever-se a abertura de 364 camas nos hospitais.

Esta é já a terceira vez que a ARS-N reforça os serviços dos centros de saúde da região desde 26 de dezembro, dia de tolerância de ponto, e até agora foram feitas diariamente, no "horário alargado", cerca de 1600 consultas extra de Medicina Geral e Familiar, ao passo que a média diária geral dos atendimentos "tem oscilado entre os seis mil e os 7500 episódios por dia", revela a ARS-N em comunicado.

"No que diz respeito a camas suplementares nos hospitais, estando prevista a abertura de 364 para todas as unidades da região, até à presente data apenas tivemos necessidade de abrir 277", acrescenta a ARS-N.

Este novo "plano de resposta da ARS-N aos cuidados de saúde" surge na sequência de medidas já tomadas a 29 de dezembro, com o reforço de horários em 39 unidades de saúde e pretende responder ao "aumento de procura" e como forma de "adequação dos diferentes serviços face às temperaturas adversas já verificadas e previsíveis para os próximos dias", explica a ARS-N. Fonte da ARS-N explicou à Lusa que o plano se manterá até que se justifique.

Quanto aos atendimentos nos centros de saúde da região, a ARS-N clarifica que, "até esta data, em horário alargado, foram efetuadas, diariamente, mais cerca de 1600 consultas de Medicina Geral e Familiar".

De acordo com a ARS-N, "comparativamente com período homólogo do ano anterior", tais dados não representam um "aumento significativo".

Segundo a ARS-N, está em causa um crescimento de "cerca de 1%", algo "ainda muito aquém da capacidade de resposta por esta ARS prevista".

"A procura dos serviços de urgência hospitalar segue a mesma tendência dos centros de saúde, sendo que, nesta data, e pese embora o alargamento e adequação das equipas, a média diária tem oscilado entre os seis mil e 7500 episódios por dia, aproximadamente", acrescenta aquela entidade.

Quanto a "camas suplementares nos hospitais", está "prevista a abertura de 364 para todas as unidades da região", mas até ao momento apenas houve "necessidade de abrir 277", indica ainda a ARS-N.

Quanto ao alargamento dos horários dos centros de saúde, estão em causa 44 unidades em várias zonas do Norte.

No caso do Porto, por exemplo, o Atendimento Complementar do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Porto Ocidental está a funcionar entre as 9 horas e as 20.45 horas, mas também entre as 20 horas e as 22.45 horas "durante a semana".

Quanto ao ACES Porto Oriental, que até agora estava a funcionar entre as 9 horas e as 18 horas, passa a encerrar às 21 horas. Durante a semana, à noite, abre entre as 20 horas e as 24 horas.

O Serviço de Atendimento de Situações Urgentes (SASU) do ACES de Gaia funciona, de acordo com a listagem disponibilizada esta sexta-feira pela ARS-N, entre as 9 horas e as 21 horas, mantendo o horário entre 20 horas e as 24 horas durante a semana.

Também nos SASU de Espinho e dos Carvalhos haverá atendimento até às 20 horas, passando para as 24 horas durante a semana.

Na Maia, o SASU funciona entre as 9 horas e as 24 horas. Em Ermesinde, o horário é 9 horas - 23 horas, prolongando-se até às 24 horas nos dias de semana.

Na zona do Marão/Douro Norte, o Serviço de Atendimento Permanente (SAP) do Peso da Régua estará aberto entre as 8 horas e as 22 horas e até às 24 horas à semana.

Todos os centros de saúde do Norte tiveram a 26 de dezembro, dia de tolerância de ponto, um "reforço das equipas e de resposta", especialmente nas "consultas não programadas" (urgências), revelou a ARS-N a 22 de dezembro.

No mesmo dia, a ARS-N informou que "nos dias 24 e 25 (domingo e segunda), os Centros de Saúde iam estar abertos como habitualmente", com vista a evitar deslocações aos hospitais.

ver mais vídeos