Premium

Obras para aumentar capacidade das barragens estão por fazer

Obras para aumentar capacidade das barragens estão por fazer

Lançado há um ano pelo Governo numa altura em que a seca severa e extrema fustigava o país, o Programa de Intervenções a Curto Prazo nas Albufeiras não saiu do papel. Tendo como objetivo melhorar a qualidade e a quantidade de água em oito barragens, o plano foi suspenso na sequência das chuvas de março e nunca mais foi retomado.

Questionado pelo JN, fonte oficial do Ministério do Ambiente e da Transição Energética esclareceu que "a intensidade de precipitação ocorrida no mês de março de 2018 determinou que fossem canceladas as operações, pois o nível de enchimento das albufeiras retirou a possibilidade de promover os trabalhos que estavam previstos". A cargo da Agência Portuguesa do Ambiente e da Águas de Portugal, contando com o apoio do Exército, as intervenções ainda chegaram a avançar em fevereiro do ano passado, mas "os quantitativos retirados foram pouco expressivos, com custos também pouco significativos".

Anunciado por João Matos Fernandes como "da maior importância" para a "preparação da próxima época de estio" (verão de 2018), o programa contemplava operações de remoção de sedimentos e de alteamento. Orçado em 3,56 milhões de euros, iria permitir retirar um milhão de toneladas de materiais e o alteamento da albufeira de Pretarouca, em Lamego, com um ganho de um milhão de metros cúbicos.