25 de Abril

Partidos rendem-se ao porta-voz dos jovens: Marcelo Rebelo de Sousa, 70 anos

Partidos rendem-se ao porta-voz dos jovens: Marcelo Rebelo de Sousa, 70 anos

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, assumiu-se, durante o discurso do 25 de abril, como porta-voz dos jovens de 2019 e avisou que as novas gerações recusam "clientelismos e adiamentos crónicos", exigindo respostas para os problemas.

Os partidos, ouvidos pelos jornalistas após a sessão solene, sublinham e apoiam as reivindicações de Marcelo Rebelo de Sousa, de 70 anos, que se apresentou na sessão solene dos 45 anos do 25 de Abril, no parlamento, em Lisboa, como um dos "jovens de 1974" que foi eleito Presidente da República.

"O Partido Socialista partilha a visão que hoje foi aqui expressa pelo senhor Presidente da República" no seu discurso durante a cerimónia, disse o líder da bancada parlamentar do PS, Carlos César.

Falando aos jornalistas nos Passos Perdidos, no parlamento, o também presidente do PS assinalou "que valeu a pena este passo fundador", que "restituiu a liberdade e a oportunidade de todos aqueles que foram privados ao longo de décadas da possibilidade de atingirem a sua maioridade e de alcançarem outros níveis de vida, o pudessem fazer na sequência do 25 de Abril".

"Mas, também é certo que os desafios com que hoje nos encontramos e nos confrontamos já não são os mesmos que a geração que viveu 1974 na sua juventude ou até na sua idade adulta encontraram", salientou.

O chefe de Estado pediu hoje "mais ambição" para resolver os problemas do país e dos "jovens de 2019", um programa quase impossível em que é preciso garantir a economia a crescer e o endividamento a diminuir.

A coordenadora bloquista, Catarina Martins, assinalou hoje a convergência entre os discursos do 25 de Abril do Presidente da República e do BE em relação "a dois movimentos particulares de jovens ou os que lutam pela transformação do mundo", que o Bloco também assinalou na AR.

"Por um lado, aquilo que temos assistido de uma grande mobilização de jovens pela urgência climática, parece-nos importante e deve obrigar a uma mudança radical de políticas para salvar o planeta. Não há planeta B", assinalou.

Catarina Martins registou ainda que o Presidente da República, tal como o BE, "achou também importante falar daquilo que tem sido a exigência de afrodescendentes em Portugal contra o racismo", num país em que "o racismo é ainda presente e essa é uma luta a ter em conta", apelou.

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, defendeu hoje que a concretização dos objetivos dos jovens portugueses passa por "respostas concretas" nos salários, na estabilidade laboral e nas políticas para promover a natalidade.

"O que gostaria de sublinhar é que a concretização dos objetivos e das perspetivas dos jovens portugueses passa muito por soluções concretas. Desigualdades sociais sim, mas pode um jovem sentir-se bem, constituir vida a ganhar 600 euros?", questionou Jerónimo de Sousa, em declarações aos jornalistas no parlamento.

O secretário-geral do PCP reforçou ainda que, na concretização dos objetivos e perspetivas dos jovens portugueses, a "questão do salário" é importante tal como a questão "do vínculo" laboral e da conciliação da vida profissional e familiar.

O Partido Ecologista "Os Verdes" disse hoje acompanhar as preocupações manifestadas pelo Presidente da República no plano sociedade e ambiental, realçando a necessidade de continuar a lutar por direitos fundamentais como a saúde e a educação.

"No plano social, os Verdes também querem sublinhar a necessidade imperiosa, para que o Presidente da República chamou a atenção, de valorizar os direitos que a nossa Constituição elege como fundamentais: o direito à educação, à saúde, ao emprego, à habitação e por aí fora", disse o deputado dos Verdes José Luís Ferreira.

Tal como Marcelo Rebelo de Sousa referiu, "se o 25 de Abril valeu a pena por estes 45 anos, também valerá a pena manter presente Abril no futuro do país e dos portugueses", disse o deputado ecologista. "É para isso que os Verdes vão continuar a trabalhar", assegurou.