Nacional

Patrulhão está à espera das provas de mar

Patrulhão está à espera das provas de mar

Navio é hoje baptizado em Viana mas só é entregue à Armada em 2010.

O patrulhão "Viana do Castelo" vai ser hoje baptizado na cidade com o mesmo nome, mas o processo de entrega à Marinha está ainda longe de concluído e os testes de mar ainda nem sequer começaram.

A cerimónia de baptismo está marcada para hoje, em Viana do Castelo, com a presença do ministro da Defesa, Severiano Teixeira, e será o primeiro navio a ser entregue da classe "Viana do Castelo". Mas dos oito navios que são falados desde 2004, apenas dois estão contratados entre o Ministério da Defesa e os Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC), o patrulhão que hoje vai ser baptizado e entregue à Armada e um outro similar a ser entregue só no próximo ano.

E mesmo o "Viana do Castelo", classificado como NPO (Navio de Patrulha Oceânico), ainda vai ter de passar pelos testes de mar, uma fase crucial, para certificação do navio e equipamentos, e onde cada elemento do patrulha oceânico é sujeito a trabalhos para verificar a sua fiabilidade e a fiabilidade da instalação.

Só depois de tudo validado a Marinha estará disponível para receber o navio e os dados mais optimistas apontam para Janeiro de 2010. O processo tem sido bastante complexo, com a Marinha a apontar várias falhas de construção aos estaleiros, algo que, no entanto, nunca foi reconhecido oficialmente.

O segundo navio será entregue seis meses depois - segundo a calendarização actual -, mas fontes contactadas pelo JN garantem que o processo será bem menos moroso, porque os ENVC já terão entretanto aprendido a resolver os problemas surgidos com o primeiro navio e que levaram a Marinha a recusar-se a recebê-lo sem que tivessem sido encontradas as várias soluções técnicas. Estas duas plataformas servirão de base para a construção do navio de combate à poluição, mas o contrato ainda não foi assinado.

E as dificuldades encontradas na construção dos NPO pelos ENVC parecem estar associadas ao facto de o ministro Severiano Teixeira ter optado pela escolha de um parceiro estratégico para os estaleiros de Viana do Castelo, que hoje será anunciado pelo titular da pasta.

À partida espera-se que os parceiros sejam estaleiros alemães ou holandeses, que já irão entrar no novo projecto das lanchas de fiscalização, assim como no navio de desembarque (LPD), um outro projecto falado desde 1998 mas que ainda não passou do papel.

Até que os NPO comecem a navegar e as lanchas de fiscalização sejam construídas, a Marinha vai ter que continuar a operar com as corvetas que começaram a navegar nos anos 70 e que foram construídas para dar resposta à Guerra Colonial.

Há duas classes neste tipo de navios, num total de onze corvetas, mas apenas um cinco ou seis navios estão a navegar, ou problemas nos sobressalentes, tendo em conta a idade dos navios.

Uma vez que se trata de navios antigos, as guarnições, mesmo reduzidas, como foi determinado já há vários anos, são o dobro das que serão atribuídas aos NPO, o que significa também um duplicar de gastos, sem que o resultado operacional seja superior.

ver mais vídeos