Nacional

PCP vai votar a favor da moção de censura do Bloco de Esquerda

PCP vai votar a favor da moção de censura do Bloco de Esquerda

O PCP anunciou este sábado que vai votar favoravelmente a moção de censura ao Governo que o Bloco de Esquerda apresentará em Março, se se confirmar "o conteúdo anunciado".

Em comunicado, os comunistas declaram que votarão a favor da moção de censura que o Parlamento vai discutir a 10 de Março, mas salientam que esta votação ocorrerá "sem prejuízo" da sua "intervenção própria" e "a confirmar-se, entretanto, o conteúdo anunciado".

O PCP considera que o país enfrenta "uma das mais violentas ofensivas contra os direitos dos trabalhadores e do povo português desde o fascismo, decorrente da política de direita desenvolvida pelo Governo PS - com apoio, nos seus eixos essenciais, do PSD, do CDS e do Presidente da República - ao serviço dos grupos económicos e financeiros".

Os comunistas defendem que "é no desenvolvimento e intensificação da luta de massas, na acção combativa dos trabalhadores, da juventude e do povo, que reside a força capaz de impor a necessária ruptura com a política de direita que abra caminho a uma política patriótica e de esquerda de que o país precisa e na qual o PCP está empenhado".

Depois de nos últimos dias dirigentes comunistas terem remetido para mais tarde o anúncio sobre o sentido de voto da iniciativa do grupo parlamentar do BE, alegando aguardar pelo conteúdo da moção de censura, o PCP acabou por anunciar hoje a sua posição, na véspera do início das jornadas parlamentares, que decorrem até terça-feira na Madeira.

Em declarações à Lusa, o líder parlamentar comunista, Bernardino Soares, afirmou que a direcção do PCP tomou esta decisão entre sexta-feira e hoje, depois de na noite de sexta-feira ter sido divulgado o teor da moção do Bloco - cujo conteúdo não quis comentar.

Questionado sobre se e quando os comunistas admitem apresentar uma moção de censura, o presidente da bancada comunista referiu não existir qualquer "cálculo em relação a isso".

"Mantemos em aberto essa possibilidade, mas para já não há nenhuma perspectiva", disse Bernardino Soares.

No texto, o BE acusa o Governo de violar "clamorosamente" o seu programa e de conduzir o país para a recessão, considerando "imperativo derrotar as medidas que promovam o desemprego e a precariedade" e "convocar a democracia para soluções".

Apesar de já ter garantido que esta moção era também contra o PSD, o texto não faz qualquer referência directa aos partidos mais à direita.

O voto favorável do PCP à iniciativa do BE não é suficiente para a viabilizar, uma vez que terá os votos contra do PS e a abstenção do PSD e CDS - conforme já anunciaram estes partidos.