Sindicato

Pelo menos 200 médicos especialistas desistiram de esperar por concurso em atraso

Pelo menos 200 médicos especialistas desistiram de esperar por concurso em atraso

Pelo menos 200 dos cerca de 700 médicos recém-especialistas que aguardam há meses por um concurso já saíram para o estrangeiro ou para hospitais privados e parcerias público-privadas, segundo o Sindicato dos Médicos.

"O ministro da Saúde decidiu mentir e manipular a informação", afirma o Sindicato Independente dos Médicos numa nota divulgada, este sábado, na qual refuta as declarações de Adalberto Campos Fernandes que indicou no parlamento que os internos que já acabaram a especialidade e que aguardam concurso estão a trabalhar nos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Em declarações à agência Lusa, o secretário-geral do Sindicato Independente dos Médicos (SIM) afirmou que pelo menos 200 desses médicos recém-especialistas que aguardam há meses pela abertura de um concurso já saíram do sistema.

"Esta foi a primeira falsidade do ministro da Saúde. Mais de duas centenas [saíram] garantidamente. Mais de uma centena para o estrangeiro e mais de uma para as parcerias público-privados e para o privado puro e duro. Dos 700 já teremos perdido 200 pelo menos", declarou Roque da Cunha.

Na quarta-feira, o ministro da Saúde reagiu no parlamento às críticas sobre o atraso nos concursos para os médicos internos que concluíram a especialidade em abril e outubro, garantindo que serão lançados "dentro de dias" e que esses clínicos "estão a trabalhar e estão no sistema".

Segundo o Sindicato dos Médicos, o ministro cometeu outras "falsidades": "Não falta apenas 'tomar posse enquanto especialistas'. O ministro da Saúde sugeriu assim que os médicos recém-especialistas estão já nos hospitais e falta apenas tomar posse quando, na verdade, os que ainda estão no SNS, estão nos hospitais do internato, faltando a colocação nos hospitais em que venha a haver vagas no concurso".

Só em relação aos jovens médicos anestesistas, Roque da Cunha indica que concluíram a especialidade cerca de 80 clínicos e que "pelo menos 50 já estão fora do sistema", lembrando o sindicalista que é uma especialidade com especiais carência e necessidade de profissionais.

O SIM acusa o ministro da Saúde de, "com propaganda, tentar tapar o sol com a peneira".

Esta semana, também a Ordem dos Médicos se veio pronunciar sobre o atraso no lançamento dos concursos para os cerca de 700 especialistas, classificando a situação como "uma vergonha nacional".