Reabilitação

Plataforma ERIHS.pt "abre" laboratórios do património a investigadores

Plataforma ERIHS.pt "abre" laboratórios do património a investigadores

A plataforma ERIHS.pt, lançada na próxima quarta-feira, em Évora, irá permitir o acesso gratuito de investigadores, instituições e empresas à tecnologia de ponta e recursos dos três grandes laboratórios portugueses de conservação e reabilitação do património.

Trata-se da plataforma portuguesa da Infraestrutura Europeia para as Ciências do Património (ERIHS - European Research Infrastructure for Heritage Science), que junta os laboratórios HERCULES, da Universidade de Évora, Nacional de Engenharia Civil (LNEC) e José de Figueiredo da Direção-Geral do Património Cultural.

O lançamento público da iniciativa está agendado para quarta-feira, a partir das 10.30 horas, no Palácio de D. Manuel, em Évora, estando previstas as presenças dos ministros da Cultura e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Luís Filipe de Castro Mendes e Manuel Heitor, respetivamente.

"É um consórcio que congrega os três grandes laboratórios na área da conservação e reabilitação do património em Portugal" e que dispõem de "instrumentação de ponta", explicou, esta segunda-feira, à agência Lusa o diretor do HERCULES, António José Candeias.

Segundo o responsável, que coordena também a ERIHS.pt, "a grande mais-valia" do projeto é possibilitar o acesso, sem custos, de investigadores, entidades e empresas a estas três "infraestruturas analíticas, únicas em Portugal", bem como "a todo o conhecimento e competências instaladas nestas unidades de investigação".

A ERIHS.pt envolve 1,2 milhões de euros de financiamento, com verbas comunitárias, do Portugal 2020 e do Alentejo 2020, e nacionais, da Fundação para a Ciência e Tecnologia, para reforçar as tecnologias e recursos humanos dos laboratórios.

Coordenada pelo HERCULES, a plataforma, além de representar Portugal na Infraestrutura Europeia para as Ciências do Património, é também "a única infraestrutura na área da conservação e reabilitação de património cultural" que faz parte do Roteiro Nacional de Infraestruturas de Interesse Estratégico (RNIIE), realçou a Universidade de Évora.

"Todos os países europeus tiveram de identificar, nos seus países, quais seriam as infraestruturas de interesse estratégico em várias áreas temáticas" e, em Portugal, "candidatámos esta infraestrutura e conseguimos ser uma das 40" que compõem o RNIIE, assinalou António José Candeias.

No âmbito da ERIHS.pt, o acesso gratuito às valências dos três laboratórios, esclareceu o coordenador, vai ser feito mediante "dois concursos anuais", o primeiro dos quais vai ser aberto já na quarta-feira.

"As várias entidades e os investigadores submetem propostas de projetos que, depois, são avaliados e selecionados", indicou.

Os responsáveis dos projetos selecionados, afirmou, vão poder utilizar "a infraestrutura analítica instalada nos vários laboratórios" e, igualmente, os recursos da unidade móvel que o HERCULES já possui: "É um laboratório que permite realizar análises diretamente nos objetos, nos monumentos ou nos campos arqueológicos".

Segundo António José Candeias, esta iniciativa pode contribuir "muito" para a conservação e reabilitação patrimonial no país, até porque o trabalho dos laboratórios envolvidos vai "desde o estudo de bens e artefactos arqueológicos até ao estudo de obras de arte e de monumentos e património arquitetónico".

"O que estamos a fazer com a ERIHS.pt é, precisamente, permitir alargar o tipo de projetos que se podem desenvolver, introduzir novas metodologias e novos sistemas de investigação para a comunidade científica e, com isso, obviamente beneficiar o património e o conhecimento que vamos ter sobre o nosso património", destacou.

ver mais vídeos