Autárquicas 2017

PS "não precisa de mais votos", Governo é que tem "de fazer qualquer coisa"

PS "não precisa de mais votos", Governo é que tem "de fazer qualquer coisa"

O líder do PSD afirmou hoje, depois do desafio de António Costa para um reforço de votos no PS nas autárquicas, que os socialistas "não precisam de mais votos", desafiando o Governo "a fazer qualquer coisa" nos próximos dois anos.

"Para que os próximos dois anos valham a pena para Portugal, o PS não precisa de ter mais votos nas câmaras, o Governo é que precisa de mostrar que quer fazer qualquer coisa", defendeu Pedro Passos Coelho, num comício de apoio ao candidato autárquico do PSD em Espinho (distrito de Aveiro), Pinto Moreira.

O secretário-geral do PS pediu hoje, em Beja, que o seu partido saia "reforçado" nas autárquicas do próximo domingo, sublinhando que tal é necessário para melhor percorrer a "metade que falta" da legislatura iniciada há dois anos.

"Estamos a meio do caminho. Temos metade do caminho ainda por percorrer, e para percorrer a metade que falta é necessário agora dar força ao PS para dar continuidade a esta mudança de política que iniciámos há dois anos", sublinhou António Costa.

Passos Coelho frisou que, pelo contrário, "não é isso que estará em causa" no próximo domingo.

"Se o Governo quer fazer alguma coisa que se veja, faça, a gerigonça apoia, não precisa de mais votos nas câmaras", desafiou o líder do PSD.

Pedro Passos Coelho defendeu que, nas autárquicas, o que o PSD quer "é que as câmaras possam ser bem governadas qualquer que seja o Governo e o que se passe no mundo".

A nível governativo, pediu que os próximos dois anos "tragam algum inconformismo, alguma reforma": "Que nos possam fazer sonhar mais com os pés assentes na terra".

O ex-líder parlamentar Luís Montenegro, mandatário do candidato a Espinho, vaticinou que o partido irá no concelho conquistar a câmara, a assembleia municipal e as quatro juntas de freguesia, meta que foi secundada por Pinto Moreira.

"Vamos fazer o pleno, vamos fazer o feito inédito de ganhar tudo o que há para ganhar", afirmou Pinto Moreira, que se candidata ao terceiro e último mandato, agradecendo a presença dos "três Pedros", numa referência - além de Passos Coelho e Santana Lopes - também ao São Pedro que, depois de uma tarde de chuva, 'poupou' Espinho durante o comício.

Apesar de à hora marcada para o início, 19:00, serem poucos os populares concentrados nos cafés circundantes, a promessa da organização local de que chegariam "150 carros" acabou por resultar numa praça bem composta na freguesia da Anta.

Antes do arranque, a organização tratou também de tapar os muitos minicartazes que o PS tinha espalhado - alegadamente no sábado à noite - pela praça onde ia decorrer o comício do PSD, cobrindo-os com propaganda social-democrata.

Passos não deixou a Anta sem cumprimentar vários populares, tirar fotografias e até tentar soprar - mas sem grande sucesso - numa espécie de vuvuzela à portuguesa, feita de chifre de boi.

Em Espinho candidatam-se também Nuno Lacerda (PS), Joana Soares (CDS-PP), Fausto Neves (CDU), Delfim Sousa (Nós, Cidadãos!), António Castro (BE) e Leonor Fonseca (Movimento Independente Pela Minha Gente).

Conteúdo Patrocinado