Premium

Psicólogos e terapeutas precários ainda sem resposta

Psicólogos e terapeutas precários ainda sem resposta

Os requerimentos dos técnicos especializados, como psicólogos e terapeutas, a pedir a vinculação nos quadros do Ministério da Educação ao abrigo do programa de regularização extraordinária dos vínculos precários na administração pública (PREVPAP), ainda não começaram a ser analisados dois anos depois de terem sido entregues.

O atraso já motivou uma queixa na Provedoria de Justiça. Dos 6924 pedidos na comissão da Educação, receberam luz verde 2811, a maioria assistentes operacionais. Mas os concursos que efetivam a integração têm saído a "conta-gotas".

"Temo que o processo não seja fechado em 2019", alerta Artur Sequeira, dirigente da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais. A secretária de Estado adjunta da Educação refuta esta leitura e, à TSF, garantiu que o PREVPAP "é um processo notável que vai acabar com a precariedade de um conjunto enorme de funcionários".