Fogos

Quase 30 concelhos de sete distritos em risco máximo de incêndio

Quase 30 concelhos de sete distritos em risco máximo de incêndio

Vinte e nove concelhos dos distritos de Castelo Branco, Portalegre, Santarém, Viseu, Bragança, Guarda e Faro apresentam, esta terça-feira, um risco máximo de incêndio.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), em risco máximo de incêndio estão os concelhos de Vila de Rei (onde existe um incêndio ativo a ser combatido por mais de mil operacionais), Vila Velha de Ródão, Proença-a-Nova, Oleiros, Covilhã e Penamacor (Castelo Branco), Penedono, Vila Nova de Paiva e Tarouca (Viseu).

Também em risco máximo estão os concelhos de Marvão, Nisa e Gavião (Portalegre), Abrantes, Mação, Sardoal (Santarém), Loulé, São Brás de Alportel e Alcoutim (Faro), Sabugal, Guarda, Pinhel, Figueira de Castelo Rodrigo e Vila Nova de Foz Coa (Guarda), Freixo de Espada à Cinta, Torre de Moncorvo, Alfândega da Fé, Bragança, Macedo de Cavaleiros e Vimioso (Bragança).

O IPMA colocou também vários concelhos dos distritos de Faro, Beja, Santarém, Castelo Branco, Portalegre, Coimbra, Viseu, Bragança, Guarda, Viseu, Braga e Vila Real em risco muito elevado de incêndio.

De acordo com o instituto, o risco de incêndio vai continuar máximo, muito elevado e elevado pelo menos até ao fim de semana em vários distritos de Portugal continental.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo, sendo o elevado o terceiro nível mais grave. Os cálculos para este risco são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.