Premium

Quatro queixas por dia contra refeições servidas nas escolas

Quatro queixas por dia contra refeições servidas nas escolas

Este ano foram feitas 600 reclamações, menos 25% do que as apresentadas no ano passado. Ministério atribui melhoria a reforço da fiscalização.

Este ano letivo, o Ministério da Educação registou 600 reclamações contra refeições servidas em refeitórios concessionados. Tendo em conta os 147 dias de aulas já cumpridos, são uma média de quatro queixas por dia. Menos 211 (uma redução de 25%) do que em igual período do ano passado, de acordo com os dados enviados ao JN pela tutela.

A melhoria, defende o ME, resulta do reforço da fiscalização. Desde a aprovação, em dezembro de 2017, do plano integrado de controlo de qualidade das refeições servidas nas escolas - que prevê a criação de equipas regionais da Direção-Geral de Estabelecimentos Escolares (DGESTE) e abriu a porta à visita dos pais às cantinas para provarem a comida - que as reclamações reduziram. A única empresa a ser multada este ano foi a Uniself, "maioritariamente por questões relacionadas com a falta de pessoal". A empresa detém a concessão de quase 600 refeitórios em escolas do Norte, Lisboa e Alentejo. O ME não revelou, no entanto, ao JN, o número de multas aplicadas e o valor dessas coimas. O JN confrontou a empresa sobre as queixas e penalizações mas não recebeu resposta até ao fecho da edição.