Premium

Refugiados desafiados a trabalhar na agricultura e no turismo

Refugiados desafiados a trabalhar na agricultura e no turismo

O Governo pretende mobilizar os refugiados acolhidos no território a trabalharem na agricultura e no turismo, dois setores de atividade onde é sentida falta de mão de obra. A medida de deslocar refugiados para o interior do país está estabelecida no Programa de Valorização do Interior, aprovado em julho, no que respeita à integração de pessoas refugiadas em Portugal.

O modelo português de acolhimento de beneficiários de proteção internacional já conta com o envolvimento de cerca de cem municípios, de norte a sul do país, confirmou ao JN o Ministério da Presidência.

"Conhecidas que são as necessidades em determinados setores de atividade, de que são exemplo, o turismo, a agricultura, a pecuária, a exploração florestal, a metalurgia e metalomecânica, o calçado, as tecnologias de informação e conhecimento, entre outros, pretende-se levar a cabo iniciativas que fomentem a integração no mercado de trabalho: formação, estágios, emprego e empreendedorismo", acrescenta fonte oficial do ministério de Maria Leitão Marques. Desconhece-se, por enquanto, a verba destinada para esta matéria no Orçamento do Estado, por ainda estar "em elaboração".