Balanço

Remessas de emigrantes atingem valor mais alto de sempre

Remessas de emigrantes atingem valor mais alto de sempre

Os emigrantes portugueses enviaram para o nosso país, no ano passado, 3.555 milhões de euros em remessas, o valor mais alto de sempre, correspondendo a 1,8% do Produto Interno Bruto nacional (PIB).

Isto numa altura em que se mantém a tendência de descida, sustentada, de trabalhadores para o exterior, depois do pico de emigração atingido em plena crise económica. Isso mesmo confirma o "Relatório da Emigração 2017", apresentado esta segunda-feira, em Lisboa, pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

De acordo com aquele documento, "trata-se do valor mais alto de sempre, sendo a primeira vez que é ultrapassada a barreira dos 3.500 milhões de euros (o pico anterior tinha sido verificado no ano 2000, com 3.458 milhões)". Feitas as contas, as remessas de emigrantes portugueses em 2017 aumentaram 6,3% face ao ano anterior. Sendo que as estimativas do Observatório da Emigração apontam para a saída de 90 mil portugueses para o exterior no ano passado, menos dez mil do que em 2016.

De referir que 59,6% das divisas enviadas para o nosso país têm origem na União Europeia, com destaque para a França, com um terço do total e que continua a subir, se bem que de forma menos expressiva. Refira-se que a França continua a ser o país do Mundo onde reside um maior número de emigrantes nascidos em Portugal, num valor que ascende os 620 mil. Segue-se, então, a Suíça, com 797 milhões de euros enviados, mais 14,3% face a 2016; e o Reino Unido, com 350 milhões de euros.

Reino Unido que, sublinha o referido relatório, apesar da "acentuação da retração da emigração", continua a ser o principal destino dos portugueses que deixam o nosso país em busca de novas oportunidades. No ano passado, o número de entradas de portugueses naquele território caiu 26%, cinco vezes superior à ocorrida no ano anterior, "devido ao efeito Brexit", lê-se no documento. Mesmo assim, entraram no Reino Unido quase 23 mil portugueses em 2017, totalizando agora 139 mil os residentes nascidos em Portugal naquele país. Seguiu-se a Alemanha, com 18 mil; e a França, com 11 mil.

Em termos acumulados, são 2.267 milhões os emigrantes nascidos em Portugal espalhados pelo Mundo. E se em 1990 cerca de metade estavam na Europa, essa proporção atinge hoje os dois terços. Aliás, de acordo com o "Relatório Emigração 2017", o nosso país "continua a ser, em termos acumulados, o país da União Europeia com mais emigrantes em proporção da população residente". Em 2017, a taxa de emigração portuguesa era de 22%, sendo, assim, o 13.º país do mundo com mais emigrantes.

ver mais vídeos